Wagner acusa governo de querer transformar Petrobras em “flor sem pétalas”

O senador Jaques Wagner (PT) foi às redes sociais para criticar a venda fatiada da Petrobras. O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, votou contra um pedido para que a estatal possa vender suas refinarias. Estão em negociações a privatização de unidades de refino da Bahia (Rlam) e do Paraná (Repar) – com planos de se desfazer ao todo de oito refinarias.

“Espero que o voto do ministro Fachin seja acompanhado pelos demais ministros do STF, reafirmando o entendimento de que tudo que faz parte da Petrobras não poder ser alienado ou vendido sem a autorização do Congresso Nacional. Infelizmente, como virou costume no Brasil, tenta se dar uma rasteira na lei e inventar falsas subsidiárias para poder vender de forma retalhada e fatiada. Era como se pegasse uma flor e fosse arrancando todas as suas pétalas. Depois não vai sobrar nada para a Petrobras”, escreveu Wagner, no Twitter.

“É uma visão equivocada, uma decisão que não enxerga a empresa como ela é. Uma empresa cujo acionista majoritário é a sociedade brasileira e eu entendo, assim como fizemos nos nossos governos do PT, a decisão deve estar de acordo e a serviço do seu acionista majoritário. Hoje, os que entraram na Petrobras têm uma visão pequena, olham só para o livro-caixa da empresa, e não se dão conta do que ela representa como alavanca do desenvolvimento científico, tecnológico e a geração de empregos como aconteceu quando a gente descobriu o pré-sal”, completou.

Fachin opinou pela concessão de liminar contra a venda das refinarias, ao destacar que deveria ser suspensa a criação de subsidiárias pela Petrobras “com o simples intuito de alienação dos ativos”. Caso a maioria dos ministros concorde com o relator até o prazo final para os votos, 25 de setembro, a venda poderá ser suspensa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *