Resultado de perícia sobre incêndio na Assembleia deve sair em até 72h

O fogo começou no terceiro andar do prédio, que passava por reforma, por volta de 15h. Neste pavimento, funcionava o setor financeiro e de recursos humanos, assim como a sala de ex-deputados da Casa e da União de Vereadores da Bahia. Por conta da intensidade, as chamas alcançaram o quarto andar e o teto da Assembleia, que era de fibra de vidro.

Ninguém estava no local na hora do incêndio. Por conta disso, não houve registro de feridos. A informação inicial é de que um curto-circuito tenha provocado o incêndio, mas a confirmação só será possível após uma perícia no local.

O Corpo de Bombeiros foi enviado ao local e conseguiu debelar as chamas cerca de duas horas após o início do incêndio.

Reforma

Segundo Ângelo Coronel, a última reforma na parte elétrica do prédio foi realizada em 1994, na gestão de Antônio Imbassahy.

O presidente da Assmbleia disse ainda, durante a coletiva, que todos os documentos de sua gestão estão digitalizados, mas não soube informar sobre as gestões passadas.

Mesmo com os prejuízos materiais, os trabalhos na Casa vão prosseguir normalmente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *