“Projeto Pedra de Ferro transformará a matriz econômica da Bahia”, diz Nelson Leal

O presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), deputado Nelson Leal (PP), disse que o Projeto Pedra de Ferro – que torna a Bahia o terceiro maior produtor de minério de ferro do país -, trará enormes benefícios a vários setores da economia do Estado, como a agricultura e outras commodities, além de contribuir para transformar a matriz econômica do Estado.

O chefe do Legislativo estadual destacou a força econômica das ações do governo Rui Costa na região Sudoeste, durante a assinatura do termo de unificação dos terminais do Porto Sul e a constituição da Sociedade de Propósito Específico (SPE), ocorrida no Salão de Atos da Governadoria, nesta terça-feira (21).

Participaram da solenidade o governador Rui Costa, o vice-governador João Leão, o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster, o embaixador do Cazaquistão, Kaerat Sarzhanov, os diretores da empresa Bahia Mineração (Bamin), Alexandre Aigner e Benedikt Sabotka. Além de vários deputados estaduais da base governista, federais, prefeitos e secretários de estado.

Nelson Leal destacou que o Pedra de Ferro, projeto que terá capacidade de produção de 18 milhões de toneladas de minério de ferro por ano, é um sonho dos moradores da região da Serra Geral, especialmente dos municípios de Caetité e Pindaí, no Território de Identidade.

Presidente da Alba – que esteve governador em exercício no período de 12 a 17 último -, elogiou a prospecção de novos negócios na China para a Bahia, e traçou um paralelo no ritmo de trabalho entre os dois poderes.

“É gratificante ver o Executivo e o Legislativo trabalhando muito pelos baianos. O governo estabelecendo parcerias que têm desenvolvido a infraestrutura e a economia do Estado, e a Assembleia Legislativa num ritmo acelerado e pujante, debatendo os grandes temas nacionais e votando projetos”, salientou, Leal.

O parlamentar pepista elencou as sessões especiais da Alba que debateram a Reforma da Previdência e a da Medida Provisória do Saneamento – MP 868, ontem, além da que vai discutir “Os Preços Abusivos das Passagens Aéreas”, que acontece nesta segunda-feira (27), às 9:30 horas.

A construção do Porto Sul, que deverá ter as obras iniciadas no segundo semestre de 2019, vai garantir a exportação de toda a produção do minério de ferro pela Ferrovia de Integração Oeste Leste, que já conta com 72% de suas obras concluídas. A previsão do governo federal, por sua vez, para a licitação do trecho Ilhéus-Caetité da Fiol é até o final do ano.

O governador disse que a assinatura do termo de unificação dos terminais era um marco na história dos investimentos na Bahia, “e que o Consórcio Porto Sul, Fiol e Mineração vai levar desenvolvimento à Serra Geral e ao Litoral Sul”. Rui Costa informou ainda que todos os processos de audiência pública da Fiol já aconteceram.

“Buscamos juntar os três ativos, Porto Sul, mineração e Fiol. Eles são irmãos siameses”, explicou. O chefe do Palácio de Ondina comentou ainda que a intenção do governo é levar a ferrovia até o Centro-Oeste e depois avançar à região do São Francisco.

Foto: Divulgação/ALBA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *