PF cumpre mandados de busca e apreensão em endereços ligados a presidente do PSL

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira (15) mandados de busca e apreensão em endereços ligados ao deputado federal Luciano Bivar, presidente do PSL, em Pernambuco.

A Operação Guinhol, que faz referência a um marionete, é decorrente da investigação sobre o esquema das candidaturas de laranjas do partido, cujo maior expoente é o presidente Jair Bolsonaro.

Os mandados foram autorizados pelo Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco, atendendo a pedidos da polícia e do Ministério Público. Entre os alvos, estão a casa de Bivar, em Recife, e a sede do partido. Endereços de três candidatas, Maria de Lourdes Paixão, Érika Santos e Mariana Nunes, e de duas gráficas, Itapissu e Vidal, bem como seus representantes, também tiveram busca e apreensão.

Segundo nota da PF, as medidas almejam esclarecer se houve “burla ao emprego de recursos” de recursos às candidatas mulheres, “havendo indícios de que tais valores foram aplicados de forma fictícia objetivando seu desvio para livre aplicação do partido e seus gestores”.

Ainda de acordo com o texto, o inquérito apura as práticas de três crimes, “pois representantes locais de determinado partido político teriam ocultado/disfarçado/omitido movimentações de recursos financeiros oriundos do fundo partidários, especialmente os destinados às candidaturas de mulheres, após verificação preliminar de informações que foram fortemente difundidas pelos órgãos de imprensa nacional”.

O laranjal do PSL, como ficou conhecido o esquema das candidaturas de laranjas, foi revelado pela Folha de S. Paulo, dando origem às investigações da PF e gerando uma crise na legenda – o caso tem sido um dos elementos de desgaste entre o grupo de Bivar e o de Jair Bolsonaro, que ameaça deixar o partido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *