Milhares de pessoas se reúnem na festa da Independência da Bahia

A caminhada do 2 de Julho, que teve o horário antecipado pela organização neste ano, contou com a presença de organizações, manifestações culturais, gestores e representantes do Governo do Estado. Todos os anos, milhares de pessoas se concentram no Largo da Lapinha para celebrar a Independência da Bahia. De lá sai o tradicional cortejo em direção à Praça da Sé, no Pelourinho e, em seguida, até o Campo Grande, rememorando as lutas em busca da separação do Brasil do domínio português, que começaram em 1822 e alcançaram seu objetivo no ano seguinte.
Presente nas festividades, o governador Rui Costa comentou a importância da data para a história do povo baiano e brasileiro. “Aqui se materializou a independência do Brasil, e essa paixão carrega os baianos. Num dia em que temos jogo do Brasil na Copa do Mundo, as ruas já estão lotadas desde cedo, com o povo querendo participar do cortejo. É um orgulho que está no sangue do povo da Bahia”, afirmou o governador Rui Costa.

Durante o cortejo, figuras como Maria Felipa, Joana Angélica e Maria Quitéria, personagens centrais desta conquista histórica, recebem homenagens. No caminho, o desfile ganhou a adesão do Caboclo e da Cabocla, ícones das batalhas travadas, em direção ao Terreiro de Jesus, no Centro Histórico.

O aposentado Gildásio Fagundes participa dos festejos há mais de 50 anos. “Para mim é uma honra, eu faço questão de vir todos os anos. Hoje eu trouxe o meu neto, porque é muito importante que os mais novos conheçam essa história de batalhas que deram a possibilidade para que nosso povo pudesse ser livre”.

Cortejo do 2 de Julho encanta turistas pelas ruas de Salvador

Principal evento cívico do povo baiano, o tradicional cortejo do 2 de Julho transcorreu em ritmo intenso este ano, por conta das expectativas em torno de jogo entre Brasil e México pela Copa do Mundo, nesta segunda-feira, às 11 horas. A disputa esportiva, no entanto, reforçou o clima de patriotismo que o evento comemorativo da Independência da Bahia desperta, com as cores verde e amarelo marcando presença entre a multidão que acompanhava o cortejo do Largo da Lapinha ao Centro Histórico.

“A tradição do 2 de Julho é uma parte importante da história e da cultura da Bahia que é muito atraente para os turistas”, afirmou o secretário do Turismo do Estado, José Alves, que participou das comemorações nesta manhã.

De fato, o espetáculo enche os olhos de nativos e turistas que circulam pelo entorno do cortejo na data maior do calendário cívico baiano. Nas imediações do trajeto, principalmente no Largo do Pelourinho, era possível ver turistas admirando-se com o colorido e o fervor da festa cívica.

“É muito bonito o desfile, além de ser importante pela valorização da cultura brasileira e o resgate da nossa história”, disse a paulistana Elisângela Escribano França, que circulava de verde e amarelo. Ao lado, a filha Giovana mostrou-se maravilhada com a energia da terra que estava começando a conhecer: “O axé da Bahia é tudo”.

Para o francês Yoann Juhel, também recém-chegado a Salvador, o que chamava a atenção era a diversidade cultural que só se vê na Bahia. “Aqui parece que é festa para todo o lado, tem Santo Antônio, São João, São Pedro e agora este desfile do 2 de Julho. É uma festa diferente, aqui eu consigo ver grupos de candomblé, capoeira e percussão afro-brasileira, vou aprender mais sobre esta terra”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *