Garoto de Feira de Santana é agredido por casal dentro de um condomínio fechado em Brasília

A servidora federal Jucimara das Mercês, mãe do garoto baiano que foi agredido por um casal em um condomínio de Brasília, afirmou nesta quinta-feira, 13, que o filho passa bem e que aguarda o posicionamento da Justiça. De acordo com informações do site Acorda Cidade, o retorno do menino está prevista para a próxima segunda-feira ,17.

“Conversei com meu filho que está bem. Ele disse que doeu, ficou um pouco assustado. O lábio dele chegou a ferir, mas ele disse que está bem. Minha irmã e minha mãe estão lá gerindo a situação e agora é esperar pela justiça. Acredito que os pais são inconsequentes, intolerantes e isso não deve ser aceito na sociedade que a gente vive. Não sei classificar o comportamento deles. Ficamos indignados com essa situação. Tem dois meses que meu filho deixou um tratamento, pois ele tinha convulsão e da forma como ele caiu poderia ter causado uma lesão grave”, disse em entrevista ao Acorda Cidade.

A servidora afirmou ainda que o fato ocorreu no domingo, 9, e que na segunda, 10, a irmã dela obteve as imagens da câmera de segurança do prédio, e que, depois disto, ela procurou a Justiça. Jucimara mora em Feira de Santana com a família. O menino e os seus irmãos estão em Brasília desde a última quinta, 6, para comemorar o aniversário de 9 anos de um primo.

De acordo com a Polícia Civil do Distrito Federal, os adultos que agrediram o menino de 6 anos devem responder por “lesão corporal, com pena prevista de três meses a um ano de prisão. Há ainda a possibilidade de responderem pelo crime de ameaça e por terem submetido o próprio filho a um constrangimento, crime que este previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Entenda o caso – O garoto de seis anos, que passava as férias na casa da tia, em um condomínio fechado em Brasília, foi agredido por um casal. O fato aconteceu durante um jogo de futsal com outras crianças do condomínio.

Tudo ocorreu após um dos garotos tropeçar na bola. Minutos depois, um homem aparece segurando os braços do menino baiano onde ele incita uma outra criança a bater no rosto do garoto. Em seguida, um mulher vai em direção ao menino e o empurra no chão.

De acordo com o portal Acorda cidade, os pais da criança estavam em Feira de Santana pois não conseguiram licença do trabalho. A tia do menino, registou um boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) na última terça-feira, 11.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *