Coordenador da Lava Jato na PGR pede para sair do cargo

O Coordenador da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR), o subprocurador José Adonis Callou de Araújo Sá pediu desligamento do cargo, segundo revelou o jornal O Globo.
De acordo com o veículo, houve divergências entre Adonis e o atual procurador-geral da República, Augusto Aras. Aras teria prometido autonomia para Adônis conduzir os casos da Lava Jato, no entanto, acabou interferindo nos trabalhos da equipe.
A falta de autonomia teria tornado o ritmo das investigações mais lento e atrasado denúncias e apurações previstas, o que gerou insatisfações. Adonis coordenava atividades que envolviam políticos com foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal (STF) e fazia interlocução com forças-tarefas nos estados.
José Adonis é de Juazeiro do Norte (CE) e procurador da República desde 1992. Em 2001, foi promovido a procurador regional da República. Em 2007, assumiu o posto de conselheiro no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Ele passou a chefiar a Lava Jato na PGR no fim de 2019, quando Aras escalava a sua equipe.

De acordo com a PGR, quem entra no lugar de Adonis, por decisão de Aras, é a subprocuradora Lindora Maria Araújo. Lindora já integrava a equipe de gestão da Procuradoria como secretária da Função Penal Originária no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e vai conciliar as duas funções.

Junto a ela, mais dois procuradores regionais entram no grupo de trabalho: Raquel Branquinho e Vladimir Aras. Todos os demais integrantes permanecem na equipe.

Carta Capital

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *