Bahia tem aumento de 40,5% nas internações por transtornos mentais em dezembro

As transtornos mentais podem afetar pessoas de qualquer idade e se configuram por alterações no sistema nervoso central. Os motivos que desencadeiam a doença são inúmeros e vão desde a uso de álcool a acontecimentos que levam à depressão.

No período de dezembro, especificamente, o Centro de Valorização da Vida (CVV) observa um aumento de 20% nos pedidos de ajuda vindos de todo o Brasil. Para muitos, a proximidade do fim do ano, os festejos e o momento de reflexão podem ocasionar pioras nos quadros de doenças relacionadas aos transtornos psiquiátricos.

Na Bahia, de acordo com dados coletadas e analisados, a variação entre dezembro de 2008 e o mesmo mês de 2018 é positiva em 40,5% nos casos de internação decorrente de algum transtorno mental pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Enquanto em dezembro de 2008 foram registrados 232 internamentos no estado, em 2018 o número saltou para 326 ocorrências. Os dados deixam a Bahia na 10ª posição nacional entre os estados que mais tiveram internamentos no período, com média mensal de 256 pacientes ocupando leitos hospitalares por causa das doenças que afetam o sistema nervoso.

“Além dos sentimentos de “não realização” pode haver também os sentimentos de saudades das pessoas com as quais a pessoa conviveu em outros natais mas neste não não está mais por perto, seja por morte ou por término de relacionamento. De toda forma os sentimentos de fracasso podem surgir de vários lados”, explicou a psicóloga Marisa de Abreu Alves.

Ainda de acordo com ela, o período é mais propenso para desencadear uma crise de ansiedade. “Pode haver muita ansiedade, o que pode até ser boa se usada para ação, ou seja, para finalmente realizar aquilo que precisa mas empurrou com a barriga o ano todo. Mas, a ansiedade pode ser muito ruim se paralisar a pessoa a ponto dela considerar uma total incapaz e alimentar pensamentos de auto boicote”, disse.

O Centro de Valorização da Vida atende em todo o território nacional com o número 188. Em caso de necessidade, as pessoas podem entrar em contato com um dos mais de 4 mil voluntários que atuam em todo.

Bnews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *