Apoiada por Dallagnol, procuradora atuou em pedido de impeachment de Gilmar

Novas revelações de diálogos entre membros da Operação Lava Jato indicam que o procurador Deltan Dallagnol teria se colocado à disposição para ajudar a procuradora Thaméa Danelon revisando parte do texto de um pedido de impeachment do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes. Os vazamentos foram noticiados pelo jornalista Reinaldo Azevedo, da rádio BandNews, em parceria com o site The Intercept Brasil.
Thaméa é favorita de Augusto Aras, indicado à Procuradoria-Geral da República, para chefiar o grupo da força-tarefa que atua no órgão. Segundo mensagens de 3 de maio de 2017, a procuradora contou a Dallagnol que se aliaria ao advogado Modesto Carvalhosa para redigir um pedido de impeachment contra Gilmar Mendes.

A prática tem legalidade questionada porque procuradores não poderiam atuar a serviço de um advogado em um processo como este. Mas, em vez de adverti-la, Dallagnol incentivou a procuradora a escrever a representação e se propôs a revisar o texto.

Às 12h48 da data em questão, Thaméa escreveu a Dallagnol: “Oi. O Professor Carvalhosa vai arguir o Impeachment do Gilmar. Ele pediu para eu minutar para ele!”. Em resposta, o chefe da Operação Lava Jato ignorou a ilegalidade da prática: “Sensacional Tamis!! Manda ver. Fala com o pessoal do RJ QUE TEM tudo documentado quanto à atuação do sócio da esposa.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *