Santo Amaro: Justiça considera lockdown da prefeitura ineficiente e recomenda medidas rigorosas

Após 15 dias do lockdown adotado pela prefeitura de Santo Amaro a Defensoria Pública da Bahia– DPE/BA considerou a ação como “ineficiente”. Hoje o município tem 368 casos confirmados do novo Coronavírus 07 mortes e 79 casos suspeitos aguardando resultado.

Nessa quarta-feira (15) a Defensoria Pública do Estado da Bahia sugeriu por meio da Recomendação 01/2020 encaminhada à Prefeitura por meio da Secretaria Municipal de Saúde, a ampliação da medida “até que se obtenha o necessário achatamento da curva de contaminação no município”. Atuante no município, a defensora pública Ana Elisa Spector explica a importância da medida.

“Diante do crescente número de casos confirmados e de óbitos, somente uma medida restritiva rigorosa é capaz de controlar esse índice de contaminação. Propomos um lockdown de, no mínimo, 14 dias, já que esse é o prazo indicado por especialistas para a manifestação do vírus”, explicou.

Além de Ana Elisa, a recomendação também foi elaborada pela defensora pública Ana Carolina Castro. Segundo levantamento da Defensoria Pública, que também leva em consideração informações da Secretaria de Saúde local, o número de casos confirmados aumentou 151% nos últimos dezoito dias, considerando a data de expedição do documento.

 

Foi destacado na Recomendação da DPE/BA que já houve sete óbitos decorrentes do novo Coronavírus de acordo com o Boletim Epidemiológico nº 068/2020, emitido pela Secretaria de Saúde do Município. Dados divulgados nesta segunda-feira, 13, mostram que já existem 347 casos confirmados de Covid-19 em Santo Amaro.

Ana Elisa Spector explica ainda que já houve um lockdown proposto em Santo Amaro, por meio do Decreto Municipal no 164/2020, publicado em 23 de junho, com validade entre os dias 25 de junho e 02 de julho. A medida, no entanto não foi eficaz na ocasião devido ao curto prazo. Por isto a elaboração da nova proposta.

“Os dados fornecidos pela Secretaria de Saúde demonstram que o lockdown feito anteriormente se mostrou ineficiente devido ao aumento considerável no número de casos e por ter sido proposto em um período menor, de oito dias”, explicou a defensora. A expectativa é que o município se manifeste sobre a medida nos próximos dias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *