Witzel contradiz Bolsonaro e diz que nunca comentou sobre porteiro com presidente

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), afirmou, durante evento na manhã desta quarta-feira (30), que jamais violou segredos de Justiça durante sua vida profissional.

“Jamais vazei qualquer tipo de informação, seja como magistrado, seja como governador. Eu lamento que o presidente tenha, no momento, talvez, de descontrole emocional, no momento em que ele está numa viagem, não está, talvez, no seu estado normal, tenha feito acusações contra a minha atividade como governador. Não manipulo o Ministério Público, não manipulo a Polícia Civil, isso é absolutamente inadequado, contrário às instituições democráticas. A Polícia Civil, no meu governo, tem independência, o MP tem e sempre terá independência e, infelizmente, eu recebi com muita tristeza essas levianas acusações”, afirmou Witzel.

Mais tarde, Witzel usou uma rede social para reafirmar o que havia dito, e acrescenta que espera que o presidente peça desculpas ao povo do Rio de Janeiro. O governador também afirma que não tem relação com o vazamento de informações.

Nesta manhã, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) acusou o governador fluminense de tentar incriminá-lo no caso da morte da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

“Deixar bem claro também: dia 9 de outubro, às 21h, eu estava no Clube Naval no Rio de Janeiro. Chegou o governador Witzel e chegou perto de mim e falou o seguinte: ‘o processo está no Supremo’. Eu falei: ‘que processo?’ ‘O processo da Marielle.’ ‘Que que eu tenho a ver com a Marielle?’ ‘O porteiro citou teu nome.’ Quer dizer: Witzel sabia do processo que estava em segredo de Justiça. Comentou comigo”, afirmou o presidente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *