Rui declara apoia a pacote anticrime de Moro e propõe “emenda” a projeto

O governador Rui Costa declarou apoio ao pacote anticrime apresentado nesta segunda-feira (4) pelo ministro da Justiça do governo Bolsonaro, Sérgio Moro. O governador da Bahia afirmou, após a sessão solene de abertura dos trabalhos na Assembleia Legislativa, que “buscará apoiar as medidas de aperto para os bandidos”.

“Eu disse lá [em Brasília] que no geral o pacote tem nosso apoio e vamos trabalhar para sua aprovação que é maior rigidez no combate ao crime organizado. Mas não deu para ler todas as vírgulas e temos que olhar com carinho todas as vírgulas para que o rigor não signifique retirar qual valor de cidadania e direito de defesa da pessoa”, disse, nesta segunda (4).

Rui Costa se reuniu com o ministro Moro em Brasília semana passada, em uma reunião com governadores do Nordeste. “Ele apresentou conceitualmente e eu manifestei meu apoio e buscarei apoiar as medidas de aperto para os bandidos”, acrescentou. O chefe do Executivo baiano também confirmou à imprensa local que apresentou propostas ao projeto e pretende propor mais. “Algumas propostas eu fiz lá na hora. Ele propõe alguma regulamentação em audiência de custódia e eu falei e fui apoiado de maneira unanime por todos os governadores presentes que é preciso regular melhor a audiência de custódia. Não concordo que alguém que é preso com fuzil, com metralhadora, essa pessoa possa ser liberada em audiência de custódia, é preciso investigar. Isso tudo é armamento proibido para qualquer pessoa. Como essas pessoas conseguiu a compra? Nós sugerimos que isso seja alterado, que haja restrição para soltura de pessoas pegas com armamento pesado, que sejam mantidas presas até que se conclua o processo de investigação e saber qual o enraizamento dela no crime organizado”, afirmou.

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, apresentou o projeto anticrime com medidas pra combater a corrupção e crime organizado no brasil. Entre as medidas, estão a criminalização do caixa 2, prisão após condenação em segunda instância e punições mais rigorosas a depender do delito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *