Segunda prova do Enem 2018 acontece neste domingo (11). Confira horários, regras e proibições

Veja o que pode e o que não pode nos dias de prova
Mais de 398 mil baianos estão confirmados para, no domingo (11), fazer a segunda prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Por isso, já é hora de fazer check-list. Separou as principais regras e exigências do Ministério da Educação (MEC) para ajudar os estudantes a não queimarem a largada. Mesmo envolvidos em aulas de revisão, tirem um tempo para checar direitinho o que levar e o que é proibido na hora da prova.

O horário merece atenção redobrada neste ano porque o horário de Verão começará, exatamente, no primeiro dia do exame. A Bahia, mais uma vez, ficou de fora da mudança, então, os portões serão abertos às 11h e fechados impreterivelmente, às 12h (13h no horário de Brasília). Na Bahia, os candidatos começam a responder as questões a partir das 12h30.

Ônibus
A orientação dos professores é para que os estudantes durmam uma hora mais cedo nos próximos dias para habituar o organismo à mudança de horário e que saiam cedo de casa no dia da prova. A prefeitura informou que vai disponibilizar frota extra de ônibus nos dois dias, quando  86 linhas serão reforçadas num  total de 515 veículos.

De acordo com a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob), as linhas de ônibus atenderão aos principais corredores da orla, miolo e Subúrbio. Além desses ônibus extras, a Semob terá o reforço de nove veículos reguladores (três por estação) nas estações Acesso Norte, Pirajá e Mussurunga. Esses veículos ficarão à disposição da fiscalização para apoio dos candidatos, entre 8h e 15h.

Documentos
É importante consultar o cartão de confirmação no site do Enem. Ele deverá ser apresentado nos dias de prova. Para se identificar, serão aceitos apenas documentos de identificação original, oficial e com foto, como carteira de identidade e CNH. Cópias simples ou autenticadas e documentos sem foto não servem. Também não vale documento em formato eletrônico.

Quem perdeu ou teve os documentos roubados poderá apresentar o boletim de ocorrência, mas isso vale apenas se o fato aconteceu a, no máximo, 90 dias do primeiro domingo de provas.

Os candidatos precisam levar caneta esferográfica de tinta preta e fabricada em material transparente. Borracha, caneta de material não transparente e corretivo são proibidos. O mesmo vale para lápis, lapiseira, livros e manuais. Dispositivos eletrônicos também serão vetados.

Para guardar o celular, haverá um envelope porta-objetos para quem estiver com algum material não permitido. O recipiente deve ser fechado, lacrado e deixado debaixo da cadeira até terminar a prova. No primeiro dia, o limite será às 19h, e no segundo, às 18h30 (horário baiano).

O candidato não poderá trocar a opção de língua estrangeira, inglês ou espanhol, na hora da prova.

Quem quiser ir ao banheiro será acompanhado por um fiscal. O cartão-resposta e a folha de redação terão o nome do candidato e estarão anexados ao caderno de questões. Eles devem ser destacados com cuidado, porque não poderão ser substituídos.

Eliminação
A eliminação pode ocorrer antes mesmo de as provas serem abertas. Os candidatos não podem usar óculos escuros e boné, chapéu, viseira, gorro ou qualquer acessório que cubra os cabelos ou as orelhas. Quem desrespeitar os horários, estiver armado ou perturbar a ordem estará fora.

Todos os candidatos podem ser revistados, incluindo aqueles que usarem artigos religiosos, como burca e quipá. Depois das 12h, quem se comunicar com qualquer pessoa que não seja o aplicador ou fiscal estará eliminado, e os estudantes estão proibidos de deixar o local de prova antes das duas primeiras horas de aplicação.

As lactantes não podem permitir que os acompanhantes entrem na sala. O envelope porta-objetos deve ser mantido lacrado e identificado até a saída definitiva do local de provas, e o candidato não pode fazer anotações em qualquer documento que não seja o cartão-resposta, o caderno de questões, a folha de redação e a folha de rascunho. Em caso de dúvida, o estudante deve consultar sempre o fiscal de sala. Fica a dica!.

IBGE
Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), entre 2009 e 2017, pelo menos 18 questões objetivas do Enem usaram dados do IBGE. Além disso, das oito provas de redação aplicadas entre 2010 e 2017, seis trataram de temas para os quais o Instituto tem informações.

Por isso, o IBGE informou que disponibilizou, também na internet, dois materiais de estudo para o Enem na seção voltada ao público jovem do canal IBGEeduca (educa.ibge.gov.br/jovens). Eles podem ser utilizados para explorar temas e testar os conhecimentos.

Um dos arquivos traz todas as questões objetivas que citam o IBGE, nos exames de 2009 a 2017. Elas abordam assuntos como pirâmide etária, inflação, migração, biomas, fecundidade e indústria. Depois de responder as questões os estudantes têm acesso aos gabaritos e a indicações de links do portal do IBGE na internet, onde é possível se aprofundar mais no que foi abordado.

As provas do Enem serão aplicadas em dois domingos. No dia 4 de novembro, os candidatos vão responder às provas de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias, de Ciências Humanas e suas Tecnologias, e a Redação, que deve ser um texto dissertativo-argumentativo a partir de uma situação-problema. No máximo 30 linhas. O tempo de duração será de 5 horas e meia.

Já no dia 11 de novembro será a vez das provas de Ciências da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias, com duração de 5 horas – meia hora a mais que na última edição. A Bahia é o terceiro estado no país em número de inscrições confirmadas, atrás de Minas Gerais e São Paulo. As provas serão aplicadas em 160 municípios baianos.

Os estudantes terão que esperar três dias para checar a resposta oficial das provas – os gabaritos serão publicados no dia 14 de novembro. Os resultados individuais serão divulgados no dia 18 de janeiro, e os espelhos da Redação, em março, em data ainda a ser definida.

Mulheres são maioria entre os candidatos na Bahia
Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a Bahia confirmou 398 mil inscrições, em 160 municípios. A maioria são mulheres, 248.170 no total ou 62,3%, contra 150.320 homens ou 37,7%. A maior parcela dos candidatos está na 3ª série do ensino médio, e este ano o nome social do candidato será usado em nove situações.

Ao todo, 31,2% dos candidatos tem entre 21 e 30 anos, são a maioria com 124 mil inscrições. Em seguida, os que tem 18 anos, mais de 56 mil ou 14,3%. Depois, os 56 mil que tem de 31 a 59 anos (14,2%), os 49 mil com 17 anos (12,5%), e os 45 mil com 19 anos (11,4%). Em 2018, 7 mil estudantes com menos de 16 anos (1,9%) e outros 838 que tem 60 anos ou mais (0,2%) também farão a prova.

Na área de atendimentos especializados, 608 deficientes físicos e 376 pessoas com baixa visão farão a prova na Bahia. Há também candidatos autistas (36), cegos (61), com deficiência auditiva (129), e surdez (81), entre outros. São 2.063 estudantes nessa situação, além de 126 gestantes, 15 idosos, e 356 lactantes.

No total, 648 candidatos solicitaram sala de fácil acesso, 498 vão precisar de tempo adicional por ter algum tipo de deficiência, 78 pediram videoaulas em libras, 127 querem mesa e cadeiras sem braço, e 119 mesas para cadeira de rodas. Os estudantes baianos necessitam de 48 intérprete de libras, 160 apoios para os pés, e 306 auxílios para a leitura, entre outros. São 2.839 recursos solicitados ao todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *