Projeto da prefeitura de S. F. do Conde conquista Prêmio “Crianças Mais Saudáveis” da Fundação Nestlé

Criação de horta e sistema de compostagem, uso de literatura, teatro e brincadeiras para falar sobre alimentação saudável, ensino e prática de atividades físicas. Essas são algumas das ações que irão agitar o segundo semestre em 10 escolas municipais e estaduais de São Paulo e da Bahia, vencedoras do Prêmio Crianças Mais Saudáveis, realizado por Fundação Nestlé Brasil.

A premiação inclui benfeitorias no valor de até R$ 35 mil para implementação de projetos que promovam práticas de atividades físicas e educação alimentar e nutricional em escolas públicas dos dois estados. Os vencedores também ganham formação e orientação de especialistas do Instituto Crescer, além de uma assinatura digital da revista Nova Escola por um ano.

O balanço para este primeiro ano do prêmio é positivo. “A resposta foi abrangente e resulta em uma mostra significativa do panorama educacional de São Paulo e Bahia”, conta Bárbara Sapunar, diretora da Fundação Nestlé Brasil. “Recebemos propostas de várias cidades, com escolas de perfis diferentes, entre urbanas e rurais, estaduais e municipais. Também são diversas as abordagens sugeridas para uma questão desafiadora, como é a de estimular hábitos saudáveis no ambiente escolar”, completa.

Foto: Shutterstock

A avaliação dos projetos foi feita por um time de especialistas nos diversos aspectos que o tema envolve: nutrição, desenvolvimento físico, práticas pedagógicas e impacto social. Entre os jurados estavam representantes da Associação Nova Escola, do Instituto Crescer, do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), da Consultoria Goldenberg, que realiza trabalhos em educação e responsabilidade social, e da própria Fundação Nestlé Brasil.

A iniciativa também permite a educadores de qualquer região do país o acesso a cursos online e gratuitos ligados à promoção de hábitos mais saudáveis, que serão divulgados, ao longo do ano, no portal criancasmaissaudaveis.com.br. Os três primeiros conteúdos estão disponíveis. Os temas são: Escolha Opções Nutritivas e Variadas, Brinque Ativamente e Escolha Beber Água.

Para as instituições ganhadoras, o trabalho já começou. A primeira etapa ocorreu em São Paulo, onde todos os professores receberam orientações iniciais para estruturar os projetos. “O objetivo era identificar os desafios de cada escola, com suas particularidades, e planejar como transpô-los”, explica Bárbara. “Também foi um momento importante de apoio para esses educadores se apropriarem das iniciativas. A ideia é que eles consigam, em conjunto com a comunidade escolar, garantir a implementação dos projetos”, diz a diretora. O processo também prevê monitoramento da implantação das propostas e avaliação do impacto nas escolas.

Foto: Shutterstock
Confira um pouco mais sobre os premiados

Projeto: Brincadeiras brasileiras
Proposta: Pesquisar as origens e influências dos povos indígenas, europeus e africanos nas brincadeiras populares brasileiras e incentivar os alunos a colocar em prática o que aprenderem. Depois orientá-los a confeccionar os próprios brinquedos com materiais reciclados. O projeto inclui também orientação sobre hábitos saudáveis de alimentação e sobre a importância do consumo de água.
Professor: Patricia de Oliveira Cardoso
Escola: EM Prof. Edemir Antonio Digiampietri
Cidade: Sorocaba (SP)

Projeto: Pratos limpos
Proposta: Estimular a participação dos estudantes no preparo de receitas com alimentos colhidos da horta escolar, aliando esse momento com estudo do gênero receitas, utilização de conceitos matemáticos e de conhecimentos nutricionais adquiridos nas aulas de Ciências. Ampliar o acervo de materiais para a prática esportiva e de brincadeiras. Fazer parceria com o posto de saúde local para aumentar os cuidados dos alunos com a saúde e realizar palestras com nutricionistas.
Professor: Elis Regina C. C. Lopes dos Santos
Escola: EMEFI Profa Leonor Bicudo Vizenzzotto
Cidade: Botucatu (SP)

Projeto: Melhor escolha na escola, melhor alimentação e recreação
Proposta: Promover atividades para incentivar os alunos a experimentar alimentos diversos e saudáveis, dentre as quais envolvê-los no plantio e cuidado da horta escolar e no preparo de alguns pratos na cozinha experimental. Planejar ações para aumentar a disposição, atenção e concentração na prática de atividades físicas. Realizar palestras sobre o assunto.
Professor: Tânia Cristina Silva
Escola: EMEF Professor Amaury Pacheco
Cidade: Marília (SP)

Projeto: Horta em movimento
Proposta: Criação de um sistema que transforme a energia gerada a partir das atividades físicas dos alunos em energia elétrica, para o aproveitamento no sistema eletrônico de irrigação por gotejamento da horta escolar.
Professor: Mário Luiz da Silva
Escola: EMEF Professor Euclides Ferreira
Cidade: Caraguatatuba (SP)

Projeto: Comer, correr e saltar é só começar
Proposta: Aliar o ensino e a prática de atletismo (corrida, saltos em altura e distância, arremesso de peso, lançamento de dardo, disco e pelota) a atividades de estímulo a adoção de hábitos alimentares saudáveis, além de palestras com nutricionistas para ampliar o paladar e o repertório nutritivo.
Professor: Rosalina de Lázaro
Escola: EE José dos Sa

Projeto: Alimentação saudável: uma história a ser contada
Proposta: Construção de um projeto interdisciplinar envolvendo Língua Portuguesa
(produção textual sobre hábitos saudáveis), Ciências (criação de horta e espaço para compostagem), Educação Física (prática de atividades físicas) e Arte (encenação e contação de histórias sobre o tema). Trazendo, assim, a temática da alimentação para a sala de aula para conscientizar as escolhas dos alunos.
Professor: Carla Julita Duarte Pinto
Escola: Colégio Estadual Césare Casali
Cidade: Salvador (BA)

Projeto: Comer bem faz bem
Proposta: Criar uma horta escolar e um sistema de compostagem. Inserir alimentos regionais da agricultura familiar nas refeições e adotar um sistema self-service para oferecer autonomia aos alunos e diminuir o desperdício de alimentos. Planejar uma gama diversa de atividades físicas para os alunos, incluindo danças e brincadeiras.
Professor: Maria Aparecida F. da Conceição
Escola: EM D. Pedro II
Cidade: Cafarnaum (BA)

Projeto: Comer bem faz bem. Viver melhor é bom D+
Proposta: Utilizar literatura, teatro de fantoches, brincadeiras antigas e cinema para abordar a importância da adoção de hábitos saudáveis. Implantar uma horta escolar e promover uma olimpíada recreativa e esportiva.
Professor: Cristiano Lima dos Santos Almeida
Escola: EM Iromar Silva Nogueira
Cidade: São Francisco do Conde (BA)

Projeto: Vida saudável sem barreiras
Proposta: Estruturar equipe multidisciplinar para planejar atividades de promoção de prática de atividades físicas e educação alimentar para alunos e familiares. Criar um espaço de aconselhamento e suporte para os estudantes, com psicólogo e assistente social. Realizar oficinas de saúde e lazer.
Professor: Maria Sandra Santos Leone
Escola: EM do Iguape
Cidade: Ilhéus (BA)

Projeto: Você é o que você come ou consome?
Proposta: Realização de palestras com nutricionista e educador físico, bem como discussão do tema em sala de aula por meio de projetos interdisciplinares entre os professores de Ciências, Geografia, Inglês, Matemática, Língua Portuguesa e Educação Física. Criação de horta e pomar com árvores frutíferas e planejamento de atividades físicas.
Professor: Deusileia Silva Bandeira
Escola: EM Castro Alves
Cidade: Botuporã (BA)

Quer ser o próximo a receber apoio? Acompanhe no site  criancasmaissaudaveis.com.br  as informações sobre o início das inscrições para o Prêmio de 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *