‘Vou ser candidato e vou me reeleger, sim’, assegura Lúcio Vieira Lima

O deputado federal Lúcio Vieira Lima (MDB) atribui a adversários políticos a informação de que não seria candidato nas eleições de outubro. O parlamentar enfrenta no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados um processo de cassação do mandato por quebra de decoro e é investigado pela Polícia Federal por crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa e peculato.

“O que mais se espalha por aí é que não vou ser candidato. Vou ser candidato, sim. Vou me reeleger, sem nenhum tipo de arrogância, sim”, reiterou o emedebista em entrevista à Metrópole FM na manhã desta quarta-feira (13).

Lúcio também disse que não tem nada a ver com as malas apreendidas no endereço atribuído ao seu irmão Geddel Vieira Lima. “Isso das malas falo com a maior tranquilidade. A quem diz que sou culpado, cabe apresentar as provas”, disse. “Reafirmo que não há nenhuma digital minha nisso. O que a gente quer é a perícia, o que nos é negado”, lembrou.

Ele é ficha limpa, não foi condenado’, diz Lúcio ao defender Geddel

Lúcio Vieira Lima, deputado federal pelo MDB, ainda saiu em defesa do irmão e ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso pela Polícia Federal após a apreensão dos R$ 51 milhões em Salvador.

Durante entrevista à Metrópole FM na manhã desta quarta-feira (13), o parlamentar frisou, inclusive, que seu irmão é ficha limpa: “Em tese ele é ficha limpa, porque não foi condenado”.

Na conversa com o apresentador Mário Kertész, Lúcio Vieira também disse se sentir incomodado por relacionarem o nome da sua mãe, Marluce Vieira Lima, com o caso investigado pela PF. “Quem conhece dona Marluce com toda certeza não acredita nisso. Uma senhora de 80 anos que praticamente não se locomove, vai poder cometer qualquer coisa? O que me incomoda mais é envolver minha mãe nisso”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *