Cachoeira: Após protesto de Quilombolas prefeito acusa ex-gestor pelo fechamento de UPA

Conforme publicado aqui na última terça-feira (19) em que moradores do distrito Santiago do Iguape prometiam realizar uma manifestação contra o prefeito Tato Pereira (PSDB) por ter suspenso, desde o mês de janeiro, quando assumiu o seu terceiro mandato, o único serviço médico de pronto atendimento diário 24h, para a população das comunidades quilombolas da região do Vale e da Bacia do Iguape. O manifesto ganhou proporções por toda cidade e o prefeito por meio de nota acusou o ex-gestor Carlos Pereira (PP) pelo encerramento dos atendimentos da unidade. “Por um descaso da gestão passada, o credenciamento da sala de estabilização da UPA não acontece há quatro anos. Agora, estamos lutando para resolver essa situação junto ao Ministério da Saúde.” O prefeito ainda promete reativar a unidade caso não consiga o credenciamento do mesmo até novembro deste ano. “A garantia que o nosso governo dá à população de Cachoeira, em especial às comunidades do Vale do Iguape, é que se o Ministério não credenciar a UPA até novembro, a Prefeitura de Cachoeira colocará a Unidade em pleno funcionamento todos os dias da semana.” Durante o ato que ocorreu em Santiago nessa terça os manifestantes realizaram um grande abraçaço que reuniu diversos moradores daquela localidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *