Intercept: Moro sugeriu poupar FHC de investigação na Lava Jato

Há um novo capítulo nos vazamentos da Lava Jato liberados pelo site The Intercept, que teve início no dia 02 de junho e repercutiu os motivos políticos por trás da Operação e da prisão de Lula. Dessa vez, o ex-juiz Sergio Moro decide opinar sobre as suspeitas contra o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, e diz que acha ‘questionável’ mexer com FHC pois ‘melindra alguém cujo apoio é importante’.
As mensagens foram trocadas com o Procurador Geral da República, Deltan Dallagnol, a outra peça chave das conversas estratégicas na força-tarefa da Lava Jato. Depois de ser questionado por Moro, ele admite que outros procuradores podem ter passado as investigações paraa frente para ‘passar recado de imparcialidade’, um status sempre buscado pelo MPF e TRF-4 de Curitiba.

Moro – 09:07:39 – Tem alguma coisa mesmo seria do FHC? O que vi na TV pareceu muito fraco?
Moro – 09:08:18 – Caixa 2 de 96?
Dallagnol – 10:50:42 – Em pp sim, o que tem é mto fraco
Moro – 11:35:19 – Não estaria mais do que prescrito?
Dallagnol – 13:26:42 – Foi enviado pra SP sem se analisar prescrição
Dallagnol – 13:27:27 – Suponho que de propósito. Talvez para passar recado de imparcialidade
Moro – 13:52:51 – Ah, não sei. Acho questionável pois melindra alguém cujo apoio é importante

Antes mesmo de Moro questionar Dallagnol sobre o trabalho no Ministério Público Federal, os procuradores da Lava Jato pareciam empenhados em mostrar a ‘imparcialidade’ sempre alegada pelo grupo. Após levantamento de notas que poderiam indicar caixa 2 nas campanhas do PSDB, que envolviam também o Instituto Fernando Henrique Cardoso, eles teriam achado o gancho necessário.

No entanto, as novas mensagens explicitam novamente as estratégias da Lava Jato para incriminar o ex-presidente Lula. A situação abriria precedente para o Instituto Lula alegar, também, um crime tributário, e não a acusação de corrupção pela qual estava sendo acusado. Esse ponto fez com que os procuradores voltassem atrás.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *