Senador diz que CPI da Lava Toga seria usada para criar ‘palanque’

O senador Jaques Wagner (PT) explicou o motivo de não ter assinado o requerimento para a criação da CPI da Lava Toga, no Senado, que pretende investigar o ativismo político no Judiciário.

Em entrevista ao programa “Balanço Geral”, da TV Record, Wagner acha que a CPI foi pensada para ser usada de palanque. “Tem muita gente querendo aparecer. É melhor pendurar uma melancia no pescoço”, ironizou.

“Todo mundo tem que ser investigado. Se tiver um fato concreto [contra o Judiciário], tem que investigar. Eu não assinei a CPI porque eu acho que aquilo era muito mais palanque pra aparecer do que pra se investigar algo”, acrescentou.

O senador petista também voltou a comentar a prisão do ex-presidente Michel Temer. Para ele, não há motivo aparente para o pedido de prisão preventiva.

“Pra que aquele espetáculo? Eu acho que a [prisão] preventiva é esquisita. A preventiva é feita se o cara for uma ameaça à sociedade. Eu sou a favor de que todo mundo pague o que fez. O que sou contra é esse espetáculo”, afirmou.

Bahia.ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *