Candeias: Juiz eleitoral inocenta prefeito Doutor Pitagoras

O Juiz eleitoral Tadeu Ribeiro de Vianna Bandeira, decidiu nessa quinta-feira (14) julgar improcedente o pedido de cassação do prefeito de Candeias, Dr Pitagoras. Essa ação acusava Pitagoras de prestação gratuita de serviços médicos e distribuição de medicamentos, em ação intitulada Caravana da Saúde, atendimentos domiciliares e outros.

Na sua sentença diz que com base na fundamentação do processo não verificou provas robustas de forma inequívoca a ocorrência do abuso do poder econômico, abuso dos meios de comunicação e capacitação ilícita de sufrágio. O juiz julgo improcedente a presente ação e extinguiu o processo com resolução do mérito.

O prefeito comemorou por meio das redes sociais onde disse que estava muito tranquilo com o processo. “Recebi com muita tranquilidade neste momento a decisão da justiça eleitoral da Bahia que julgou improcedente a ação movida pela candidata derrotada nas eleições passadas que buscava caçar o meu mandato. Quero dizer que tenho paz e tranquilidade para transformar a cidade de Candeias e a vida de nosso povo, pois meu mandato foi conquistado de porta em porta, pedindo voto, ganhando a confiança do cidadão candeense e apresentando um programa de governo que em 2 anos já mudou a cara de Candeias. A cidade já mudou, e claro que precisamos fazer muito mais e tenho certeza que agora sem essa perseguição eleitoral nós iremos fazer muito mais. Comemoro com Candeias essa vitória, que respeita a decisão soberana da maioria do eleitorado de nossa cidade e convido a todos que ainda nãoestão no nosso projeto de se juntar a nós nesse momento de transformação da vida do povo Candeense. Sempre confiei em Deus que é o meu guia e minha fortaleza e por isso agradeço demais. Sempre confiei demais na justiça do homem e essa é a prova que fizemos um jogo limpo e verdadeiro para conquistarmos esse mandato. Venham todos os que querem o bem estar do nosso povo e construir essa nova história, pois comigo é trabalho, trabalho e trabalho”, afirmou Pitagoras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *