Maria Bethânia decora e carrega andor de Nossa Senhora da Purificação

No filme Fevereiros, que tem direção de Marcio Debellian, e estreou na última quinta-feira (31), a cantora baiana Maria Bethânia reforça o que já canta há muitos anos na música “Santo Amaro Ê Ê”: trabalhou o ano inteiro só pra passar fevereiro em Santo Amaro.

A tradição e devoção acontecem, porque é no dia 2 – mesma data dos festejos de Iemanjá – que a cidade do Recôncavo baiano comemora o dia da padroeira: Nossa Senhora da Purificação.

Como não poderia ser diferente, neste sábado (2), Maria Bethânia saiu da casa onde nasceu e cresceu, do quintal de Dona Canô (1907-2012), para ajudar na decoração do andor da Santa. Vestida de branco e com as guias do candomblé no pescoço, a artista ajeitou as flores brancas e vermelhas dentro da Igreja Matriz da cidade.

Mas, antes do grande dia da Padroeira, a famosa Praça da Purificação reuniu dezenas de baianos e turistas, que assistiram, desde o dia 28 de janeiro, a shows variados que fizeram parte da festa. Neste ano,o homenageado foi Zé Raimundo ou “Zé Janeiro”, idealizador do Santo Amaro Art Jazz Club, projeto popular com artistas, músicos compositores personalidades santo-amarenses.

‘Amor, festa e devoção’

A Igreja de Nossa Senhora da Purificação foi construída pelos jesuítas em 1608, vindo a ruir mais tarde, em 1678. Em 1706, teve início a construção da atual Igreja Matriz de Nossa Senhora da Purificação e o município do Recôncavo baiano foi  elevado a vila em 5 de janeiro de 1727, tornando-se cidade apenas em 13 de março de 1837.

A celebração de Nossa Senhora da Purificação, que acontece no dia 2 de fevereiro, comemora um episódio de quando Jesus ainda era criança. Na Igreja Ortodoxa e outras Igrejas Católicas, ela é uma das doze Grandes Festas, sendo uma das celebrações mais antigas.

A festa, que tem mais de 300 anos de tradição, termina neste sábado com o tradicional cortejo pelas ruas de Santo Amaro. Pela manhã, a cantora baiana ajudou na decoração do andor e à tarde caminhou ao lado da imagem de Nossa Senhora da Purificação.

No seu cortejo, a presença de várias imagens à frente da Padroeira chama a atenção, como se fossem verdadeiros batedores, na segurança e, ao mesmo tempo em sinal de reverência à Nossa Senhora da Purificação.

A Santa, com toda a imponência, percorreu a cidade carregando o filho nos braços e abençoando a todas às pessoas que acompanham o desfile. Depois, a imagem retornou ao altar da Igreja Matriz e Maria Bethânia voltou ao quintal de Dona Canô.

Assista ao vídeo de Bethânia ajudando a carregar o andor:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *