Bahia goleia Juazeirense por 7 a 1, em noite de apresentação de Fernandão

Até o mais ranzinza torcedor do Bahia não conseguiu conter o mais largo sorriso. Fora de campo, o time anunciou o atacante Fernandão, que retorna ao Tricolor com status de ídolo, recepção da torcida no aeroporto e como a mais cara compra do clube em sua história: R$ 4,5 milhões pelo atacante de 31 anos.

Em campo, o time titular deu esperanças de que coisas boas podem vir na temporada, em uma atuação segura que culminou em uma goleada por 7 a 1 sobre a Juazeirense, na Fonte Nova, em jogo válido pela segunda rodada da fase inicial do Baianão. Agora, o Bahia volta a atuar já neste sábado, às 16h, no estádio do Arruda, em Recife, contra o Santa Cruz, pela segunda rodada do Nordestão.

.
.

Empolgação em campo

O clima de empolgação da torcida com a contratação de Fernandão parece ter contaminado os atletas. Logo aos cinco minutos, saiu o primeiro gol. Em cobrança de escanteio, Artur bateu fechado e o estreante da noite, o lateral esquerdo Moisés, tocou forte de cabeça, abrindo o placar. O segundo gol veio pouco depois, de pênalti, com apenas 11 minutos de partida. Gilberto recebeu a bola como um ponta e achou Nino Paraíba entrando na área. O lateral tocou para a área e a bola bateu na mão do zagueiro Emílio. Na cobrança, Gilberto esperou Douglas Pires se jogar no canto e chutou quase no meio, marcando o segundo do Esquadrão no jogo.

O Bahia ainda teve chances claras, aos 34 e aos 38 minutos, com Moisés e Guilherme perdendo de maneira inacreditável, praticamente sem goleiro.  Mas, no início do segundo tempo, o Tricolor foi implacável, marcando mais cinco gols, três deles nos dez minutos iniciais. Com menos de um minuto de bola rolando, saiu o terceiro, com Artur. Moisés recebeu passe na esquerda e cruzou para a área. O defensor da Juazeirense tentou tirar, mas a bola sobrou para o camisa 98 coroar sua boa atuação e só empurrar para o gol, marcando o seu primeiro pelo Esquadrão.

O quarto tento veio aos oito minutos, em jogada ensaiada de escanteio. Rogério tocou para Artur, que chutou para o gol da entrada da área. Douglas Pires deu rebote e a bola sobrou para Jackson, sem ser incomodado, só completar. Foi o segundo gol de Jackson pelo Bahia, que não marcava desde a Série B de 2016.

Alguns dos novatos aproveitou a noite favorável para os gols tricolores e também anotaram os seus primeiros tentos pelo Esquadrão. Aos 10 minutos, foi a vez de Shaylon, que havia acabado de entrar no lugar de Rogério, fazer o quinto. Guilherme deu bom lançamento e encontrou o meia sozinho. Ele dominou no peito e tirou do goleiro, ampliando o placar.

E a contagem chegou a seis aos 26 minutos. Após escanteio, Clayton desviou de cabeça e a bola bateu na mão de Jacó, dentro da área. Novo pênalti para o Bahia, desta vez batido por Guilherme. O camisa oito não deu chance para Douglas Pires, tirando do goleiro após uma paradinha.

A Juazeirense conseguiu marcar o gol de honra aos 40 minutos, com Ewerton, em pênalti mal assinalado por mão de Clayton (a bola bateu em suas costas). Mas o Bahia não havia encerrado a festa. O jovem lateral da base Douglas Borel mostrou categoria ao acionar Gilberto, que, dentro da área, só desviou para o gol, fechando um dia inesquecível para os tricolores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *