Cachoeira: Vereadora comemora vitória de Bolsonaro e critica programas como Bolsa Família

Após o segundo turno das eleições presidenciais a câmara municipal de Cachoeira deu continuidade aos trabalhos legislativos com o pronunciamento de alguns vereadores comemorando a vitória de Jair Bolsonoro. Mesmo com a derrota de Haddad, o candidato do PT, teve mais de 72% dos votos em todo estado e em Cachoeira mais de 83% de toda cidade. Jair Bolsonaro só ganhou em três municípios baianos o que demonstrou força do governador reeleito Rui Costa. Na contra mão do estado alguns vereadores de Cachoeira usaram a tribuna nessa segunda-feira (29) para criticar o segundo turno e os eleitores de Haddad, maioria da cidade que votaram com o PT. Leonardo Boaventura (PSDB) e Angélica Sapucaia (PRTB)  foram um dos que usaram a tribuna para criticar os eleitores de Cachoeira que votaram em Fernando Haddad. “O povo tá cansado do PT. O Bolsa Família e o Bolsa Escola é lei. Qualquer um que chegar lá tem que cumprir a lei”, afirmou Angélica referindo-se aos Programas Sociais criados pelo PT. “Seria melhor que ele deixasse para o povo não esse Bolsa Família e nem o Bolsa Escola e sim um emprego. Cada um com seu trabalho. O povo sem querer trabalhar pra receber esse Bolsa Família”, afirmou a vereadora. Angélica ainda chamou o ex-presidente Lula de ladrão e disse ter ficado admirada com a quantidade de pessoas que ainda votou no candidato do PT.

Já o vereador Josmar Barbosa (PRB) que teve postagem apagada na página da Câmara de Vereadores destacou que não apoiou nenhum dos dois candidatos no segundo turno. Confira nota: “Eu falei da minha tristeza de ter que ir votar no último domingo, desejei boa sorte ao presidente eleito falei que foi feita a vontade do povo brasileiro, disse que tinha medo. Do que está por vir… disse que foi indelicado por parte de Haddad não saudar o presidente eleito, e disse que votei em Ciro Gomes no primeiro turno e que anulei meu voto no segundo turno. Por que no meu ponto de vista seria incoerente votar em Bolsonaro por ser um louco e votar em Haddad com 32 processos, sendo que eu combato corrupção no meu município. E disse que anular meu voto foi o mais coerente. Em razão de tudo isso.”

 

Fotos: ASCOM Câmara Municipal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *