Rui eleva o tom contra Bolsonaro “não dá para ter candidato frouxo, covarde, desqualificado

O governador Rui Costa (PT) elevou o tom ao falar do candidato a presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), que aparece em primeiro lugar nas pesquisas. Em seu retorno ao programa das redes sociais “Papo Correria”, Rui criticou o fato de Bolsonaro não participar de debates.
“Não dá para ter presidente da República covarde, desqualificado, sem preparação. Treme as pernas quando fala em debate. Pede até remédio para dor de barriga. Fica com medo de olhar para câmera e dizer o que pensa para o país. Se fosse nos EUA esse candidato já tinha despencado nas pesquisas, porque o povo americano não aceitaria candidato frouxo, covarde”, disse.

Conforme Rui, o candidato do PSL é frágil em relação a projetos para o país. Ele vai derreter, vão perceber o quanto ele é frágil […] Para debater é preciso ter conhecimento dos problemas do país e das soluções, e um bocado de coragem, ele não tem”, afirmou. “Ele operou a língua ou o estômago?, ironizou ainda o senador eleito e presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, Angelo Coronel que também participou do debate programa.

“Não sei como um pai de família consegue votar em um cidadão que pega uma criança de colo para fazer o sinal da arma. O sinal que eu ensino a minha filha é o da oração de noite para rezar”, completou Rui Costa, ao se referir as atitudes de Bolsonaro.

O governador da Bahia, reeleito com 75,5% dos votos, no primeiro turno, aproveitou mais da metade do tempo do programa para falar do segundo turno das eleições presidências e pedir voto para Fernando Haddad, candidato do PT.  “Essa minha vitória na Bahia me diz duas coisas: o reconhecimento da população, aprovação do nosso governo. De outro lado significa uma grande expectativa que a gente possa fazer melhor ainda do que fizemos no primeiro mandato. Por isso mesmo eu quero me dirigir a você e pedir que nos dê essa oportunidade para que eu possa contar com o presidente da República que gosta da Bahia”, afirmou.

“Quero lhe pedir também como pai, aprendi que é a melhor forma de educar é pelo exemplo, pela prática. Quero um presidente que possa ser exemplo para minhas filhas. Que a educação é o melhor caminho, o exemplo de paz. O caminho não é o ódio, é construir a fraternidade. Vamos combater a violência com o rigor da lei. Confio que é a serenidade e responsabilidade vai permear os corações do povo brasileiro no dia da eleição”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *