Rejeição a Bolsonaro cresce para 43% em setembro, mostra Datafolha

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, lidera a rejeição entre os concorrentes ao Palácio do Planalto, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada na noite desta segunda-feira, 10. O total de eleitores que não votam de jeito nenhum no militar subiu de 39% em agosto para 43% hoje. A resistência é maior entre mulheres (49%), os mais jovens (55%) e no Nordeste (51%).

A rejeição ao nome de Marina Silva (Rede) também subiu na comparação das duas pesquisas – passou de 25% para 29%. Terceiro mais rejeitado, Geraldo Alckmin (PSDB) oscilou de 26% para 24%. Fernando Haddad (PT) viu a rejeição ao nome dele passar de 21% para 22%, enquanto a de Ciro Gomes (PDT) caiu de 23% para 20%.

Cabo Daciolo (Patriota) e Vera Lúcia (PSTU) têm ambos 19% de rejeição; José Maria Eymael (DC), 18%; Guilherme Boulos (PSOL) e Henrique Meirelles (MDB) têm ambos 17% cada; João Amoêdo (Novo) e João Goulart Filho (PPL), 15% cada; e Alvaro Dias (Podemos), 14%.

Os que disseram rejeitar todos ou que não votariam de jeito nenhum são 5%, enquanto os que votariam em qualquer um ou não rejeitam nenhum, 2%. Os que não souberam ou não opinaram são 6%.

Neste levantamento, portanto, os entrevistados podem citar mais de um candidato. Por isso, os resultados somam mais de 100%.

A pesquisa tem margem de erro de dois pontos porcentuais e nível de confiança de 95%. Foram ouvidos 2.804 eleitores nesta segunda-feira, 10, em 197 municípios de todas as regiões do País. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-02376/2018. O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo.

Datafolha: no 2º turno, Bolsonaro perde para Ciro, Alckmin e Marina

O candidato Jair Bolsonaro (PSL) perde para os concorrentes Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB) e Marina Silva (Rede) nas simulações de segundo turno feitas pelo instituto Datafolha. No caso de o oponente ser Fernando Haddad, que deve substituir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na chapa do PT, o deputado federal aparece tecnicamente empatado.

Na simulação entre Ciro e Bolsonaro, o pedetista subiu de 38% em agosto para 45% hoje, enquanto o militar manteve os 35%. Votos brancos e nulos caíram de 23% para 17%, enquanto os que não souberam ou não opinaram oscilaram de 4% para 3%.

No cenário em que concorrem Alckmin e Bolsonaro, o tucano subiu de 38% para 43% e o candidato do PSL oscilou de 33% para 34%. Brancos e nulos caíram de 25% para 20%. Não souberam ou não opinaram se mantiveram em 3%.

No segundo turno entre Marina e Bolsonaro, a candidata da Rede oscilou de 45% para 43%, enquanto o deputado federal subiu de 34% para 37%. Votos brancos e nulos passaram de 20% para 8%. O número de eleitores que não souberam ou não opinaram permaneceu em 2%.

Contra Haddad, o candidato do PSL manteve 38% nos dois levantamentos, enquanto o petista subiu de 29% para 39%. Considerando-se a margem de erro de dois pontos porcentuais, os dois aparecem tecnicamente empatados. Votos brancos e nulos caíram de 28% para 20%. Não souberam ou não opinaram oscilaram de 4% para 3%.

Outros cenários

Haddad perde, no entanto, nos dois outros confrontos de segundo turno com o nome dele testados pelo Datafolha.

No confronto do petista com Marina, a candidata da Rede tem 42% e Haddad, 31%. Brancos e nulos somam 25% e não souberam/não opinaram, 3%.

No cenário contra Alckmin, o tucano tem 43% e o petista, 29%. Brancos e nulos são 32% e não souberam/não opinaram, 4%.

O tucano aparece tecnicamente empatado, no limite da margem de erro, na simulação contra Ciro. O pedetista subiu de 31% para 39% e Alckmin oscilou de 37% para 35%. Brancos e nulos caíram de 28% para 23%. Não souberam/não opinaram oscilaram de 4% para 3%.

Ciro venceria Marina, por 41% a 35%. Brancos e nulos somam 22% e não souberam/não opinaram, 2%.

No último cenário testado, a candidata da Rede aparece tecnicamente empatada com Alckmin, com 38% a 37%. Brancos e nulos são 23% e não souberam/não opinaram, 2%.

A pesquisa tem margem de erro de dois pontos porcentuais e nível de confiança de 95%. Foram ouvidos 2.804 eleitores nesta segunda-feira, 10, em 197 municípios de todas as regiões do País. A pesquisa foi registrada no TSE sob o protocolo BR-02376/2018. O levantamento foi encomendado pela TV Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *