João Henrique e mais 298 políticos baianos estão na lista de possíveis ‘fichas-sujas’

O candidato ao governo nas eleições deste ano e ex-prefeito de Salvador por dois mandatos, João Henrique Carneiro (PRTB), pode ficar inelegível para o pleito de outubro já que possui quatro processos na lista de gestores e ex-gestores com contas reprovadas pela corte e entregue nesta segunda-feira, 13, pelo Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) ao presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA), José Edivaldo Rotondano.

>>Relação de contas julgadas irregulares (em arquivo PDF)

>>Relação de gestores que tiveram nomes excluídos (em arquivo PDF)

O Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE) divulgou nesta segunda-feira (13) uma lista com os nomes dos gestores com contas desaprovadas no período de 2010 e 2018 (veja aqui), e consequentemente impedidos de concorrer a cargos nas Eleições 2018. Na lista constam 486 processos e 299 gestores.

Além de João Henrique, estão Alfredo Boa Sorte, candidato a deputado estadual nas Eleições de 2014,  o ex-deputado federal Amauri Santos Teixeira, que em 2016 se candidatou à cadeira do executivo na cidade de Jacobina, a ex-prefeita de Barreiras e ex-secretária estadual de Desenvolvimento Urbano, Jusmari Oliveira (PSD), candidata a deputada estadual nestas eleições, a social-democrata teve as contas rejeitadas duas vezes, nos anos de 2009 e 2012.

Outro candidato à AL-BA na ingrata lista é o ex-prefeito de Serrinha, Osni Araújo (PT). O petista teve as contadas rejeitadas nos anos de 2011 e 2013.

Preso no âmbito da Operação Adsumus, que investiga desvios de dinheiro público, o ex-prefeito de Santo Amaro, Ricardo Machado, também aparece entre os administradores com gestões irregulares. No caso dele, foram cinco exercícios desaprovados: 2009, 2011, 2012, 2013 e 2016.

Além deles, estão no grupo o ex-prefeito de Ilhéus, Jabes Ribeiro (PP), com contas rejeitadas em 2014; o ex-prefeito de Itabuna, Vane do Renascer (PRB), por rejeições em 2015 e 2016; e o ex-prefeito de Camaçari, Ademar Delgado (PT), com contas reprovadas em 2015. O ex-prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta (PDT), é outro que integra a lista, com conta rejeitada em 2012. No entanto, de acordo com o advogado Ademir Ismerim, defensor do ex-prefeito, a Câmara de Vereadores aprovou as contas, o que o exclui da relação de inelegíveis.

Apesar de integrar a listagem, isso não significa que os nomes ali contidos estejam realmente proibidos de concorrer a cargos eletivos nas eleições deste ano. O documento é apenas uma indicação do TCM para que o TRE possa examinar o possível enquadramento deles na Lei de Ficha Limpa. Os condenados pela legislação estariam, aí, sim, impedidos de disputar o pleito de outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *