Escolha de Coronel para chapa de Rui Costa ainda repercute no meio político

Após ser excluída da chapa majoritária de reeleição do governador Rui Costa (PT), a senadora Lídice da Mata (PSB) revelou que a decisão do gestor estadual vai contra toda tradição de luta da esquerda brasileira e dos segmentos progressistas que há anos lutam pela participação da mulher na política. “Lamento profundamente, principalmente em um momento em que pauta do protagonismo feminino está em alta em todos os setores da sociedade. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por exemplo, destinou 30% do fundo eleitoral para mulheres”, exemplificou.

Mesmo indignada, Lídice afirmou que não está preocupada com o cargo que vai concorrer, mas sim sobre a decisão do partido no que diz respeito a opinião pública que clama pela presença dela na chapa. Desde a confirmação de Jaques Wagner (PT) e do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) Ângelo Coronel (PSD) como pré-candidatos ao Senado anunciada nesta segunda-feira, 25, pelo governador, o partido está analisando a situação e deve se pronunciar sobre o destino político de Lídice na próxima terça, 3.

Para o senador Otto Alencar (PSD), a escolha de Coronel para a vaga se deu por causa do bom desempenho do partido em 2016, quando a sigla foi a que mais conquistou prefeituras no estado. “Para fazer a base forte andei a Bahia toda ao lado dos meus amigos. Foi uma luta grande. Eu visitei 178 municípios onde tínhamos candidatos. A escolha de Coronel na majoritária é reflexo do nosso trabalho”, justificou.

Coronel, por sua vez, agradeceu aos correligionários pela indicação e prometeu ser um guerreiro dos interesses do Estado e dos baianos. “Buscarei fazer um mandato inteiramente afinado com a bancada baiana e à altura do governo Rui Costa, um dos melhores do país”, disse, em nota.

O deputado federal Paulo Magalhães (PSD) classificou a escolha como esperada e justa. Ele atribui a decisão por Coronel na chapa ao apoio oferecido pela agremiação à trajetória política do governador. Segundo ele, a figura do deputado vai harmonizar ainda mais a chapa escolhida por Rui.

O deputado federal e presidente do PR na Bahia, José Carlos Araújo, disse que Coronel será um grande colaborador. Ele também declarou que a sigla visa uma vaga para suplência do Senado, no entanto, a decisão final cabe ao governador.

Assembleia

O líder da maioria na AL-BA, Zé Neto (PT) revelou que a escolha do correligionário se deu por conta da sua valorização política nos últimos quatro anos. Segundo o petista, a escolha do governador Rui Costa equilibra a chapa. Ele também afirmou que a decisão do governador “é algo natural do processo político”. Zé Neto minimizou a falta de representação feminina na chapa e revelou que a gestão tem um conjunto de projetos de inclusão das minorias, a exemplo do hospital municipal e da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM).

A deputada estadual pelo PSD, Ivana Bastos acrescentou que o correligionário representa muito bem o povo baiano e o partido. “A população cobra pela presença do PSD na chapa”, afirmou. Quanto à exclusão de Lídice, Ivana disse que também luta pela participação feminina na política, principalmente na presidência da Casa.

O líder da minoria na Casa, Luciano Ribeiro (DEM) limitou-se a dizer que o debate será feito durante a campanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *