“Irmandade da Palavra: a voz da mulher no Recôncavo” realiza oficina em Santo Amaro

O projeto aprovado pelo Edital Setorial de literatura/2016 da SecultBA é um conjunto de oficinas itinerantes de poesia, contação de histórias e outras artes da palavra por mulheres. Percorrerá as cidades de São Félix, Santo Amaro (Acupe), Saubara e Cachoeira fomentando encontros em torno da literatura em suas várias formas e plataformas: escrita criativa, leitura dramática, performance, vídeo, livro, intervenção poética e autopublicação.

Muito já foi dito a respeito da tradição de contar histórias no nordeste brasileiro: cantadores de viola, repentistas, cordelistas, histórias de santos, histórias de pescador, história que não acabam mais. O Estado da Bahia marca expressivamente o cânone literário nacional, tendo, por exemplo, Gregório de Matos como um dos primeiros poetas brasileiros. Na prosa, marcam nosso cânone Jorge Amado, Antônio Torres, Joao Ubaldo Ribeiro e uma porção de outros escritores que beberam desse cotidiano e suas histórias para construir suas obras. Entretanto, essa extensa tradição literária inclui pouquíssimas vozes femininas. Vozes essas que, aqui no Recôncavo, temos raras e valiosas oportunidades de reconhecer na composição poética de sambas, rap e saraus literários. Todos espaços que oferecem resistência e muitas dificuldades para a inserção de mulheres.
Ainda assim, podemos conhecer as suas produções e ouvir suas histórias graças, exclusivamente, aos seus próprios esforços, enfrentamentos, afetos e atos de resistência. São histórias marcadas pelo trabalho, pelo convívio familiar, o comércio e pelas variadas manifestações culturais da região, tais como a marujada, o nego fugido, o samba de roda, a religiosidade, as festas de São João.
Propondo a formação de uma “Irmandade” (termo de afeto e enfrentamento), o projeto pretende incentivar e fornecer meios para que as mulheres do Recôncavo escrevam e levem a público seus escritos, seja por meio digital; pela produção dos livros artesanais (na contramão do monopólio das editoras); pela troca de escritos autorais entre si; por intervenções poéticas; leituras dramáticas e discussão de obras consagradas escritas por mulheres, principalmente, das que falam de lugares marginalizados, tais como Carolina Maria de Jesus e Conceição Evaristo; e pela publicação de uma antologia que será distribuída em escolas e outras instituições culturais.
Para tanto, serão feitas oficinas em espaços públicos, com carga horária total de dezesseis horas, distribuídas em quatro encontros por cidade, que devem acontecer de Fevereiro a Julho de 2018. Ao término das oficinas, haverá a preparação de um livro com a seleção dos textos produzidos nas quatro cidades, as ilustrações do processo, minibiografias das escritoras e breves relatos das experiências em cada um dos locais. A antologia levará o título “Irmandade da Palavra: a voz da mulher no Recôncavo” e deve ser lançada ainda este ano, na cidade de Cachoeira.
O projeto tem apoio financeiro do Governo do Estado da Bahia, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.
Confira as datas e horários previstos para as oficinas:
São Felix – 17, 24 de fevereiro, 3 e 10 de Março (sábados). No Museu Casa Hansen Bahia, das 9h às 13h.
Acupe (Santo Amaro) – 17, 24 de Março, 7 e 14 de Abril (sábados). Local e horário serão divulgados em breve
Saubara – 28 de Abril, 5, 12 e 19 de Maio (sábados). Local e horário serão divulgados futuramente.
Cachoeira – 30 de Junho, 07, 14 e 21 de Julho (sábado). Local e horários serão divulgados futuramente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *