Candeias: Três policiais envolvidos em ação em que artista plástico foi morto são afastados das atividades

s três policiais militares envolvidos na ação que acabou com a morte do artista plástico Manoel Arnaldo dos Santos Filho, em Candeias, na região metropolitana de Salvador, foram afastados das atividades nas ruas. A informação é da Polícia Militar e foi passada nesta segunda-feira (23).

O artista foi baleado dentro da casa onde morava e que usava como ateliê de pintura, na noite de sábado (21). Segundo os familiares de Nadinho, como também era conhecido, PMs entraram na casa dele em busca de um suspeito e já chegaram atirando no homem, que estaria desarmado.

A Polícia Militar alegou que Nadinho estava com um revólver e disparou contra a guarnição, da janela de casa, mas a arma falhou. A Corregedoria da instituição apura o caso. O prazo para a apuração do procedimento é de 40 dias, prorrogáveis por mais 20.

“O que relatam os policiais é que foram acionados pelo Centro Integrado de Comunicação (Cicom) a ir a esse endereço especificamente, o bairro Santo Antônio, em Candeias, porque havia uma invasão de domicílio. Lá chegando, bateram na porta desse imóvel e foram recepcionados por uma pessoa com arma em punho. Segundo o relato dos policiais, essa pessoa disparou, apertou duas vezes o gatilho, mas a munição não foi deflagrada. Diante do risco, o policial fez o revide atingindo o suspeito em dois locais, no peito e no braço”, detalhou o capitão Bruno Ramos, porta-voz da PM.

Os familiares contestam a versão da PM. Eles disseram que o artista não tinha arma e que os policiais teriam atirado mesmo sob protesto dos vizinhos. A família encontrou Nadinho morto no posto de saúde da cidade, depois que foi levado pela PM. A população fez um protesto nesta segunda-feira para pedir justiça pelo crime.

Uma missa de corpo presente foi realizada no domingo (22) no Santuário de Nossa Senhora das Candeias, em homenagem ao artista. O enterro dele ocorreu em seguida, no Cemitério Recanto da Saudade.

Nas redes sociais, vários moradores da cidade manifestaram pesar e revolta com a morte. A comunidade Nossa Senhora Virgem dos Pobres, da paróquia da Nossa Senhora das Candeias, e a prefeitura da cidade divulgaram notas de pesar contra o crime.

Nadinho nasceu em Salvador e viveu, desde criança, na mesma casa onde foi morto, em Candeias. Arnaldo dava aula de artes, pintava quadros e fazia artesanato para garantir o sustento. A casa humilde de quadro cômodos, na Travessa 31 de março, foi onde ele criou os quatro filhos e, depois que se mudaram, ele passou a usar como ateliê, para pintar e dar aulas.

Paróquia de Candeias lamentou morte do artista (Foto: Reprodução/Facebook)

Paróquia de Candeias lamentou morte do artista (Foto: Reprodução/Facebook)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *