S.F. Conde: Evando Almeida é acusado de cometer crimes na Educação e Obras Públicas

O prefeito de São Francisco do Conde, Evandro Almeida (PP), está sendo acusado de cometer fraudes em processos licitatórios envolvendo as secretarias de educação e a secretaria de serviços, conservação e obras públicas. O Recôncavo Online que teve acesso ao conteúdo das denúncias constatou que o processo movido por, Guaraja Rocha dos Santos, envolve os secretários de educação, Marivaldo Cruz Amaral, o secretário de serviços, conservação e obras públicas Amarildo dos Santos Guedes e o secretário de infraestrutura Ruy dos Santos Barbosa. Uma das empresas que constam no processo é a Brasil Nutrição Comércio de Alimentos Eirele sediada na cidade de Lauro de Freitas. O processo acusa Evandro de cometer crimes envolvendo a secretaria de serviços, conservação e obras públicas que detém a maioria dos contratos milionários do município que foi centralizado na pasta pelo prefeito por meio de decreto. A denúncia foi apresentada no Ministério Público Estadual, no Ministério Público Federal além do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia. No MP o processo de Nº 3.9.44030./2018 envolve o prefeito, a empresa Arqtec Engenharia LTDA, o secretário de serviços, conservação e obras públicas Amarildo dos Santos Guedes e o secretário de infraestrutura Ruy dos Santos Barbosa. Nos fatos do processo o requerente acusa a prefeitura de realizar três aditivos mesmo já tendo pago mais de R$12 milhões. Outro fato que consta no processo aponta que o secretário Amarildo atua como agente político do prefeito, relações com a mesma empresa em outras gestões e apresenta indícios de direcionamento na Concorrência Pública Nº007/2015.2CP. Além disso, o autor aponta que o quantitativo de funcionários para excussão dos serviços é muito inferior ao apresentado nos pagamentos da empresa. Na educação o processo de Nº 3.9.58922/2018 acusa o secretário Marivaldo Cruz Amaral de cometer crimes envolvendo a merenda escolar e por em 2017 ter realizado diversos pagamentos superior a R$5 milhões, aditivar por mais de três vezes e ainda pagar com recursos do Fundeb. Além disso, nos autos do processo consta que a prefeitura diz ter 8.880 alunos na rede municipal, no entanto, declara que serviu 28.332 refeições. Ambos os processos requerem que tanto o MP, MPF e TCM realizem uma investigação criminal e assim apresentem os resultados à Câmara de Vereadores do município.

Secretário de Obras Amarildo dos Santos Guedes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *