Bahia fecha 1ª fase com triunfo e garante ponta do grupo no Nordestão

Por conta de tropeços inesperados, o Bahia chegou à última rodada da primeira fase do Nordestão precisando vencer fora de casa para se classificar e, de quebra, garantir a liderança do Grupo C. Missão dada e cumprida. Em atuação para o gasto, mas segura, o Tricolor bateu o Botafogo-PB, em João Pessoa, por 2 a 0, na noite desta quinta-feira, 29.

Para saber quem vai enfrentar nas quartas de final, o Esquadrão espera o sorteio que será realizado na segunda-feira. Como ficou em primeiro, poderá enfrentar qualquer um dos segundos colocados das outras chaves – CRB, ABC ou Sampaio Corrêa. Mesmo derrotado, o Botafogo também avançou, pois o Náutico ficou no 2 a 2 com o eliminado Altos.

Com moral pelo resultado, o Tricolor volta agora suas atenções para o primeiro Ba-Vi da final do Baiano, domingo, às 16h, na Fonte Nova.

Do tenso ao favorável

A primeira etapa começou de maneira preocupante para o Bahia. O gramado molhado e com poças formadas justamente onde se atrapalhavam os zagueiros tricolores – com destaque para o desengonçado Douglas Grolli, substituindo o lesionado Lucas Fonseca – se juntava ao baixo poder de criação no ataque. O ambiente de tensão cresceu com um gol precoce do Náutico no outro jogo do grupo. Ou seja, naquele cenário, bastava o Esquadrão ser vazado uma vez que estaria eliminado da Copa do Nordeste.

Mas a situação logo ficaria bem mais favorável. O Bahia ainda não havia levado perigo nenhuma vez até, aos 26 minutos, Edigar Junio abrir o placar em cobrança de pênalti. No lance, destacou-se o lateral Nino Paraíba – ausente do Ba-Vi de domingo por suspensão. Ele foi à linha de fundo e cruzou rasteiro para Zé Rafael ser derrubado por Rafael Jataí.

Ao balançar a rede, Edigar chegou ao gol de número 35 pelo Bahia no seu jogo 100 com a camisa do clube.

Antes disso, só o Botafogo havia assustado. O melhor lance foi aos 12 minutos, quando Marcos Aurélio cruzou em cobrança de falta, Elton desviou de cabeça e quase marcou contra. Mas, depois do gol, o Tricolor cresceu e passou a demonstrar superioridade.

Aos 30 minutos, Vinicius levantou à área em cobrança de falta, Edigar amaciou de cabeça e Grolli por pouco não completou para a rede. Aos 39, o placar foi ampliado graças a outra iniciativa de Nino, que novamente foi ao fundo e apostou no cruzamento por baixo. Edigar furou, mas Marco Antônio ficou com a sobra, finalizou bem e anotou seu primeiro tento como profissional. Assim, ganhou moral para seguir como titular nos Ba-Vis decisivos e se valorizou na negociação para renovar com o Bahia.

Ele tem contrato apenas até maio e as tratativas para estendê-lo por mais três anos estão emperradas no valor de cerca de R$ 500 mil que o clube teria de pagar à Desportiva Paraense, dono de 50% dos direitos do meia-atacante. Quatro minutos depois, ele poderia ter aumentado ainda mais seu poder de barganha, mas perdeu chance clara após passe pelo alto de Zé Rafael.

No segundo tempo, o Belo mostrou-se mortinho. Pouco ou nada fez. Já o Bahia, mesmo em ritmo lento, poderia ter transformado o triunfo em goleada. Aos 26 minutos, Vinicius roubou bola no ataque e deixou Edigar cara a cara com o goleiro. Ele chutou mal, mas a sobra ficou com Zé Rafael, que, embaixo da trave, não alcançou a bola. Aos 42, faltou pouco para a partida ser encerrada com um golaço. Régis deu um lindo toque por cobertura, mas o travessão, caprichoso, apareceu para atrapalhar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *