UFRB participa do IV Encontro de Mulheres de Axé do Recôncavo

A Pró-Reitora de Políticas Afirmativas e Assuntos Estudantis da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Maria Goretti da Fonseca, esteve na tarde desta terça-feira, 20 de março, na Casa dos Artífices, em Cruz das Almas, para participar do IV Encontro das Mulheres de Axé do Recôncavo. Na ocasião, ela representou o reitor Silvio Soglia, convidado e apoiador do evento promovido pela Câmara Setorial de Religiões Afro-Brasileiras do Recôncavo (CASERAFRO), órgão vinculado ao Território de Identidade do Recôncavo.

O Encontro teve como objetivo homenagear as matriarcas e mulheres de axé que desenvolvem seus papeis na religião, respeitando a hierarquia e os costumes de seu povo. Receberam homenagens representantes dos mais antigos e tradicionais terreiros de candomblé da região do Recôncavo, vindas das cidades de Cachoeira, São Félix, Santo Antônio de Jesus, Governador Mangabeira, Muritiba, Nazaré, Maragogipe e também de Cruz das Almas.

Além das homenagens, o evento reuniu doações para o acervo para o Memorial aos Ancestrais de Axé do Recôncavo, que será montado na cidade de Cachoeira, na Casa da Mulher de Axé do Recôncavo. De acordo com a Yalaxé Juçara Lopes, representante da CASERAFRO e uma das organizadoras do evento, o intuito é de salvaguardar a memória da resistência do Candomblé no território. “O espaço está sendo pensado para abrigar nossas memórias e também o nosso aprendizado. A gente sabe que as coisas para o povo de santo não vêm fáceis, mas o Candomblé sempre resistiu e vamos continuar resistindo”, afirmou Juçara.

“É sempre uma honra estar aqui ao lado de mulheres guerreiras, que trazem no sangue e na raça a resistência do nosso povo e da nossa religião”, disse a pró-reitora da UFRB, Maria Goretti da Fonseca. Em sua fala, ela ressaltou o papel de destaque da UFRB na representação do povo negro do Recôncavo e colocou a instituição à disposição para continuar a “resistir, persistir e nunca desistir”. “Temos feito inclusão social e racial. Os meninos e meninas que entram nessa Universidade se reconhecem, se identificam, se percebem como negros e se fortalecem pra ir à luta do povo negro”, afirmou.

Representando a Prefeitura de Cruz das Almas, o secretário de Políticas Especiais, Pablo Rezende, também aproveitou o evento para reforçar a parceria entre o município e as mulheres de axé do Recôncavo. “Cruz das Almas fica feliz em receber pela segunda vez este evento tão importante. Que a gente possa continuar desenvolvendo esta parceria”, disse.

O superintendente de Desenvolvimento do Trabalho da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (SETRE), Alexandro Reis, agradeceu ao convite e a oportunidade de participar de um evento com tanta representatividade. “Temos a compreensão que terreiro não é só religião. A religião é a essência da nossa comunidade, mas aqui é cultura, aqui é arte, aqui é emprego, aqui é a força de um povo trazido de África e que conseguiu se refazer no Brasil, e especialmente no Recôncavo baiano”, disse Reis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *