‘Estamos juntos’, diz Leão sobre busca pela reeleição de Rui Costa

Em enentrevista, o vice-governador e secretário do Planejamento, João Leão (PP), revelou que vai continuar na base e apoiar a reeleição do governador Rui Costa (PT). “Do nosso lado temos Rui e Wagner, pelo PT, e uma série de partidos de esquerdas, como o PSB e PCdoB; mais Otto Alencar e João Leão, que são os azuis: PSD e PP”.

Segundo Leão, a junção dos azuis com o vermelho resultou na primeira eleição do então governador petista Jaques Wagner, e o PT ganhou a eleição por fadiga de poder. “A população estava cansada do governo ACM. E nós não estamos no processo de fadiga. Nós temos 83% de aprovação no governo. Isso demonstra o contrário: estamos em ascensão. Os azuis se uniram e colocaram uma faixa branca, da paz, e a gestão vem dando certo”, disse ele.

Leão revelou que a relação com o governador Rui Costa é excepcional. “O governador me deu a chave da secretaria de Planejamento, que é a chave do cofre do Estado, pois nós definimos as verbas para as demais secretarias”, contou sobre o vínculo de confiança com o gestor estadual.

Sobre a possível candidatura do prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), Leão revelou que seria salutar, pois seria um bom debate. Porém, de acordo com ele, o prefeito tem um problema: “quem vai compor a chapa dele?”, questiona, completando que acredita ser muito difícil Neto ganhar a eleição para governo.

Leão argumentou que a hipótese de o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), sair candidato ao governo é bastante complicada. “Ele pode até ser candidato, mas acho difícil ele entregar as chaves a Colbert Martins (seu vice), que foi seu adversário durante muitos anos. É difícil passar a caneta em uma situação como esta”, opinou.

Arrecadação

A Secretaria de Planejamento (Seplan) é exclusivamente destinada a orçamento e gestão do estado. Segundo o gestor da pasta, a Seplan levantou dados e montou um plano de ação para aumentar a arrecadação de Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), de acordo com os 27 territórios de identidade.

“Queria saber como funcionavam esses territórios e nós iniciamos um projeto de desenvolvimento para entender o que precisava ser feito para melhorar. Pegamos o ICMS e colocamos como índice de cada território de identidade. Descobrimos que 67.99% da receita do estado estão na Região Metropolitana; 4.88% no Litoral Norte; 4.99% no Portal do Sertão”.

Após o Levantamento, Leão entendeu que a Bahia deveria se desenvolver como um todo, não apenas três ou quatro territórios. A ação começou com os territórios que poderiam oferecer resposta imediata. “ . No território do Velho Chico, começamos a estudar o processo de instalação de usinas de açúcar, pois a Bahia só produz 9,7% do açúcar e 11.3% do álcool”.

Diante disso, Leão informou que ficou definida a implantação de 10 usinas na região do Velho Chico. “Já estamos com conversas bem adiantadas até a quarta usina”, adiantou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *