Cachoeira: Decisão nega recurso e Estado continuará a fornecer alimentação para presos

Um pedido para desobrigar o Estado de fornecer alimentação para presos da Delegacia de Cachoeira, no Recôncavo, foi negado pela Justiça. A decisão, publicada nesta sexta-feira (9), é do presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Gesilvado Britto.

O Estado tentava reverter uma decisão que o responsabilizava pelas refeições – café, almoço e janta – aos custodiados, determinada em dezembro passado. À época, foi estabelecida multa de R$ 20 mil diários caso houvesse desobediência no cumprimento da medida. Segundo informações obtidas pelo Bahia Notícias, no momento não há presos na unidade que tem capacidade para oito [dois em cada das quatro celas].

O fornecimento servirá para novos casos de detenção. Segundo o promotor de Justiça Rodrigo Rubiale, autor da ação que vigora, a alimentação dos detentos estava sendo fornecida por familiares. Em dezembro, a prefeitura da cidade tinha deixado de fornecer alimentação, alegando ter dificuldades financeiras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *