Candeias: Prefeito defende que não há irregularidades em contratações

Pitágoras Alves da Silva (PP), prefeito de Candeias, se defendeu da acusação que o tornou réu no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA). O gestor é acusado pelo Ministério Público do Estado (MP-BA) de contratar funcionários sem justificativa. Sobre o processo, Pitágoras respondeu, em nota, que as contratações foram realizadas em regime de urgência para “tirar Candeias de uma situação caótica e de calamidade pública em todos os setores da Administração”.

O prefeito declara que efetuou as nomeações dentro do previsto na legislação, e também determinou a publicação de processo seletivo REDA, através de editais públicos. “É importante frisar que a Administração Municipal, ao iniciar a gestão, efetuou as nomeações de acordo com a estrutura de cargos existente na legislação do Município de Candeias. Ressalte-se ainda que não foi preenchido nenhum cargo acima do limite previsto na legislação municipal”, destacou a administração de Candeias em nota. Apesar de o MP-BA pedir o afastamento e a prisão preventiva de Pitágoras, a juíza avaliou que não havia necessidade dos dois pleitos e o prefeito responderá o processo em liberdade, no exercício da função de gestor municipal. A defesa de Pitágoras defende que não há “prova de que a gestor tenha procedido a nenhuma nomeação fora da legalidade, haja vista que toda e qualquer nomeação feita na atual administração obedece aos critérios de Lei”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *