Cachoeira: Prefeitura fecha unidade escolar de comunidade Quilombola da Opalma

Mesmo após a aprovação da Lei 12.960, de março de 2014, sancionada pela ex-presidenta, Dilma Rousseff, que dificulta o fechamento de escolas rurais, indígenas e quilombolas a prefeitura de Cachoeira decidiu fechar a escola Almerinda Pereira da comunidade quilombola do Engenho da Cruz (Opalma). A Lei da ex-presidente Dilma altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) para fazer constar exigência de manifestação de órgão normativo – “como os conselhos municipais de Educação” – do sistema de ensino para o fechamento desse tipo de escola. De acordo com Maria de Totó, presidente da Associação de Quilombolas do Tabuleiro da Vitória, os gestores criam uma situação para que alunos e pais não se interessem em estudar naquela determinada escola. “Eles criam situações ruins para que a escola esteja apta a ser fechada. É uma situação causada e provocada. Não dão condição para que aquela escola funcione. Prejudica e muito as escolas da zona rural e dos Quilombos e ele tem feito isso constantemente. É um desrespeito total com a nossa educação”, destacou Maria.
Segundo nota enviada pela prefeitura a unidade foi fechada de maneira responsável, com a aprovação das três instâncias deliberativas que validam o fechamento; a Secretaria de Educação, o Conselho Municipal de Educação e a comunidade escolar. “A Escola Almerinda Pereira não atendia, de forma digna, as necessidades educacionais da comunidade, tendo em vista o reduzido espaço das salas e da estrutura física como um todo, dentre outros motivos que comprometiam o ensino-aprendizagem qualificado.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *