Leão perde invencibilidade e liderança para o ABC no Nordestão

No oitavo jogo da temporada veio a primeira derrota do Vitória em 2018. E junto com ela pesou ao Leão também a perda da liderança do Grupo B da Copa do Nordeste. Esta passou a ser do ABC, vencedor do confronto deste sábado, 10, em Natal, por 3 a 1.

Com um time talentoso, no qual se destacam peças como o experiente Wallyson e os jovens Fessin e Matheus, o Elefante se impôs diante de um rival que, pensando no Ba-Vi do próximo domingo, poupou o atacante Denilson – autor de três gols nos últimos dois jogos.

Antes do clássico pelo Baianão, o Rubro-Negro atua pela segunda fase da Copa do Brasil: quinta, às 18h15, no Barradão, diante do Corumbaense.

Complicado desde o início

O começo de primeiro tempo no Frasqueirão foi o mais complicado para o Vitória neste início de temporada. O time sofreu bastante com a pressão exercida pelo ABC em seu campo de defesa. Foi assim, ocupando bem o setor ofensivo, que os potiguares criaram a primeira chance da partida logo aos dois minutos.

Erivélton avançou pela direita e cruzou no segundo pau. Fernando Miguel saiu mal e a bola ficou com o zagueiro Tonhão, que errou o alvo.

Cinco minutos depois, o Leão já se viu atrás no placar. Yago se arriscou a sair jogando mesmo com a adiantada marcação do ABC e acabou desarmado pela revelação Matheus, centroavante de 19 anos. A sobra ficou com Erivélton, que tocou para Wallyson, livre na área. O ex-atacante do Bahia teve calma para tirar do alcance do goleiro rubro-negro e balançar a rede.

A situação se apresentava preocupante. Apenas pela segunda vez no ano o Vitória se encontrava em desvantagem no marcador – a outra foi contra o frágil Atlântico pelo Baianão, jogo que terminou em virada rubro-negra: 2 a 1.

No entanto, mesmo sem fazer uma grande exibição, o time de Vagner Mancini se equilibrou em campo. Não conseguia levar muito perigo ao ABC, mas passou a controlar o jogo. E, na primeira chance real de gol criada, empatou o duelo. Aos 28 minutos, após uma cobrança de escanteio curto, a bola chegou a Juninho no bico da área. Ele cruzou e André Lima marcou de cabeça.

Na comemoração, o centroavante, que já vinha se desentendendo com o goleiro Edson, bateu boca novamente com o adversário e ambos foram advertidos com o cartão amarelo. A partir dessa polêmica, o futebol parou um pouquinho para dar lugar a lances mais ríspidos e discussões. Só nos minutos finais houve duas boas jogadas a registar, ambas do dono da casa.

Aos 42, Wallyson foi lançado nas costas de Bryan e tocou para Erivélton isolar. Já nos acréscimos, o mesmo Wallyson exigiu ótima defesa de Fernando Miguel em uma potente cobrança de falta.

Ruim para o Vitória que o segundo tempo começou da mesma maneira que terminou o primeiro, com Wallyson dando muito trabalho. Aos 10 minutos, ele fez boa jogada de linha de fundo e tocou para Matheus chutar. Fernando Miguel salvou de novo.

Aos 16, um lance polêmico. Lançado por Fessin, Wallyson avançou com apenas o goleiro à frente e acabou derrubado por trás por Ramon, já dentro da grande área. O juiz mandou o jogo seguir.

Os potiguares reclamaram muito da não marcação do pênalti e perderam ímpeto na sequência. Aí o Leão conseguiu administrar melhor o resultado, que lhe era favorável. Só voltou a ser ameaçado nos 15 minutos finais. Aos 31 e aos 33, Matheus perdeu boas chances ao ser acionado em velocidade. Um minuto depois, saiu o gol. Jorge Eduardo cruzou rasteiro e Wallyson parou em Fernando Miguel. Na sobra, Fessin não desperdiçou.

Aos 43, o caixão foi fechado. Em novo contra-ataque, Wallyson recebeu, arrancou e deixou Jorge Eduardo na boa para definir o 3 a 1.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *