Ex-prefeito de Muritiba é acusado de receber ‘mensalinho do lixo’

Preso novamente ontem no âmbito da Operação Adsumus, o ex-prefeito de Muritiba Roque Isquem (PDT) é acusado de receber, de janeiro de 2013 a março de 2015, propinas mensais sobre contratos com a empresa que prestava serviços de limpeza urbana na cidade do Recôncavo. A informação consta no mandado de prisão preventiva expedido contra Isquem pela juíza Camila Soares Santana, da Comarca de Muritiba. De acordo com a denúncia apresentada à Justiça pelo Ministério Público do Estado (MP), o mensalinho foi revelado aos investigadores da Adsumus na delação premiada do empresário Júlio Cezar Falcão da Silva, dono da MRC Construções, contratada para realizar coleta de lixo no município.

Boca aberta
Em depoimento ao MP, o delator afirmou que a propina do lixo foi paga a Roque Isquem em 30 prestações, sendo nove delas de R$ 22 mil e outras 21 de R$ 35 mil. Ao todo, segundo a denúncia da Adsumus, os repasses mensais ao então prefeito somaram R$ 933 mil.

  1. Dinheiro na mão
    Os investigadores da Adsumus apontaram ainda o blogueiro Anderson Bela – um dos presos na sexta fase da operação, deflagrada no último dia 18 de dezembro – como responsável por receber a propina paga a Roque Isquem pelo dono da MRC. O empresário Júlio Cezar Falcão disse na delação firmada com o MP que o mensalinho era repassado a Bela em envelopes entregues pessoalmente por ele. A empresa também é acusada de destinar, através do esquema de lixo,  R$ 60 mil mensais ao ex-prefeito de Santo Amaro Ricardo Machado (PT), apontado como um dos chefes do braço político na rede de corrupção montada em cidades do Recôncavo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *