Baianão começa domingo com times do interior tentando desbancar dupla Ba-Vi

Segundo estadual mais antigo do Brasil (atrás apenas do Paulistão), o Baianão entra no domingo, 21, em sua 114ª edição, com o Vitória em busca do tricampeonato consecutivo para reduzir a distância de títulos para o rival, Bahia. Enquanto o Tricolor é o mais vitorioso do estado, com 46 taças, o Leão mira seu 30º troféu.

A supremacia da capital é clara, principalmente quando se projeta o futuro dos clubes no decorrer deste ano. O Bahia, por exemplo, volta a disputar uma competição internacional. Com a Sul-americana pela frente, o Esquadrão manteve as peças que fizeram a boa campanha no Brasileiro passado e trouxe nomes expressivos, como o goleiro Douglas, destaque do Avaí no Brasileirão 2017.

Já o Vitória vê a sequência do trabalho aplicado por Vagner Mancini como trunfo. Os reforços de Lucas e Brayan, nas laterais, e o retorno de Rhayner agregam ao elenco.

Mesmo com amplo favoritismo, a dupla Ba-Vi poderá não ter a habitual vida fácil. Se ainda não chegam a ser uma real ameaça aos grandes da capital, equipes do interior começam a mostrar crescimento, ávidas a alcançar o seu eldorado: a final do certame.

O torcedor pode ficar de olho, especialmente, em times como a Juazeirense, que neste ano disputará a Série C do Brasileiro. Além do Cancão, o Fluminense de Feira também tem exibido evolução na luta pelo título de ‘terceira força’.

A força do interior

Não adianta, entretanto, apenas aspirar ao posto. É preciso planejamento, investimento, preparação e muito foco no objetivo final. Estes ingredientes estão nas fórmulas adotadas pelos dois times.

A Juazeirense começou seus trabalhos no dia 12 de dezembro, visando reforçar a preparação física. Além disso, segundo o presidente do clube, Roberto Carlos, o Cancão terá seu “melhor elenco de todos os tempos”. Com a Série C e a Copa do Brasil no calendário, montou um elenco com 28 jogadores, sendo 12 remanescentes da temporada passada.

Após dois anos com boas campanhas (4º em 2016 e 3º em 2017), o Flu de Feira segue perseguindo o terceiro caneco do Baianão para sua galeria. Para isso, a vinda do técnico Evandro Guimarães, vice-campeão do Pernambucano pelo Salgueiro, é considerado um trunfo. Com ele, outros seis jogadores do time desembarcaram em Feira de Santana.

O Flu fez pré-temporada longa e reconstruiu o seu centro de treinamentos. Segundo o presidente, José Francisco, o time este ano está mais aguerrido. “Teremos um time forte na pegada, que incomodará o adversário, como deve ser todo time do Fluminense”, conta. Outra arma será a velocidade, num com média de idade entre 25 e 26 anos.

O regulamento

O Baianão contará com dez equipes: Atlântico, Bahia, Bahia de Feira, Fluminense de Feira, Jacobina, Jacuipense, Jequié, Juazeirense, Vitória e Vitória da Conquista. Como no ano passado, a primeira fase será realizada no sistema de pontos corridos, com jogos só de ida. Os quatro melhores se classificam diretamente para a semifinal, a ser disputadas em mata-mata com jogos de ida e volta. Os dois vencedores avançam à grande final, também com jogos de ida e volta.

Os finalistas e o terceiro colocado garantem vagas na Copa do Brasil em 2019. As três equipes melhores posicionadas terão direito de disputar a Série D de 2019, desde que estas não sejam integrantes de outras séries do Campeonato Brasileiro (Bahia e Vitória estão na Primeira Divisão e Juazeirense na Terceirona).

O campeão baiano e o clube de melhor posição no ranking da CBF estarão na Copa do Nordeste da temporada seguinte. Também haverá uma vaga para a fase prévia do regional, que será destinada ao segundo melhor colocado no ranking, caso o time não dispute a final do Campeonato Baiano. Já o time detentor da pior campanha na primeira fase será rebaixado para a Segunda Divisão estadual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *