Mancini traça perfil e projeta qual será a cara do Leão em 2018

A bola só começa a rolar para o Vitória no dia 16, pela estreia da Copa do Nordeste, contra o Globo-RN, mas o técnico Vagner Mancini já sofre com a inquietude típica de um técnico de futebol. Quem vai entrar em campo? Quantos titulares já estão definidos? Todos estão bem fisicamente?

As perguntas serão respondidas aos poucos. Nesses nove dias que antecedem a partida, o treinador poderá esboçar o time e recuperar atletas, que terão suas rotinas de alimentação, exercícios e sono controladas pelo clube. O Vitória está em regime de concentração desde o dia 4.

Apesar de não ter todas as respostas que busca, Mancini já sabe de uma coisa: o time vai ser rápido e ofensivo. Pelo menos é o que ele projeta.

“O Vitória será um time rápido. A cara do time que o torcedor gosta de ver no Barradão é essa. Time de força e velocidade, que seja agudo e marque bastante. Nunca vi o time do Vitória com posse de bola sendo um time que ganhava partidas por ter mais técnica que o adversário, mas sempre vi o Vitória com destaque jogando com extrema velocidade. Esse é o time que devemos ter”, explicou Mancini, que terá para o início da temporada uma base do elenco do ano passado.

Do time que habitualmente atuava como titular, seguem à disposição Fernando Miguel, Wallace, Kanu, Juninho, Ramon, Uillian Correia, Fillipe Soutto, Yago, Neilton, Kieza e Tréllez. Willian Farias e José Welison também estão no elenco, mas se recuperam no departamento médico.

Além deles, Mancini conta com dois reforços: o atacante Denilson e o lateral-direito Lucas, já oficializados. O Leão ainda vai anunciar dois atletas do Cruzeiro, envolvidos na negociação do atacante David com o time mineiro. Um deles é o lateral-esquerdo Bryan.

Mais contratações
As contratações do Vitória para a temporada estão sendo feitas em ritmo lento, mas, segundo o diretor de futebol Erasmo Damiani, não há motivo para desespero.

“O Brasil tem uma janela aberta o ano inteiro. Os clubes podem se programar para reforçar as posições. Não adianta inchar agora. Daqui a pouco aparece a chance de trazer um bom jogador e não teremos como buscá-lo porque já tem um grupo fechado. Mancini tem leitura parecida com a minha, de ter um grupo enxuto, então a gente vai ser pontual nas contratações”, disse o dirigente.

Mancini, inclusive, participa ativamente da escolha dos contratados. “Contratações estão focadas nesse tipo de jogador, que se encaixa no tipo de time que quero para o Vitória. Às vezes, não consegue aquele que você quer, mas tem similar no mercado, que você pode pagar. Então, você pega o jogador e faz com que ele evolua dentro disso que eu quero ter no time. Quero que essa cara seja rápido, que chegue ao ataque com facilidade, mas que retorne mais rápido que qualquer outra equipe no Brasil”, explica o treinador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *