PSB nacional ‘exige’ Lídice da Mata disputando o Senado

Durante encontro realizado na sede do PSB, em Salvador, nesta segunda-feira, 11, o presidente nacional do partido, Carlos Siqueira, falou sobre o cenário politico brasileiro e as perspectivas do partido para a corrida presidencial nas eleições de 2018. Durante o encontro, Carlos Siqueira confirmou o nome da senadora Lídice da Mata como uma “exigência” do partido para reeleição ao senado no próximo ano.

O dirigente afirmou que para o Senado Federal haverá nomes competitivos em no mínimo em três estados. Na Bahia, o nome do partido será o da senadora Lídice da Mata, que segundo Siqueira, é uma exigência do diretório nacional para a releição, seja qual for o cenário politico.

“Um dos motivos pelo qual eu estou aqui na Bahia é que temos uma decisão. Talvez a palavra seja um pouco forte, mas a exigência é que a senadora seja candidata aqui na Bahia ao Senado. Em qualquer hipótese ela pode ser candidata, com aliança no atual governo, que é o que nós desejamos, mas se na pior das hipóteses isso não acontecer, ela será candidata de qualquer forma”, assinalou Siqueira.

Assim como no encontro realizado em Brasília no último dia 5, o presidente anunciou que a legenda deve lançar candidaturas próprias aos governos de, pelo menos, oito estados. “Temos hoje cerca de dez candidatos a governador, mas pode-se chegar a entre sete e oito”, afirmou.

Para o socialista, o ano de 2018 é bem visto para o partido e tem a Bahia como uma dos estados principais para o crescimento e fortalecimento da sigla no cenário nacional. ”Trabalhamos para o crescimento partidário no plano da representação no cenário nacional. Estamos com estratégia de eleger em sete estados que não conseguimos na eleição passada e nesses estados estamos preparados para eleger um ou mais deputados federais. Outra estratégia é fortalecer o partido em cidades com maior número de eleitores e com um grande poder econômico. Nós temos federações importantes como São Paulo, Minas Gerais, Paraná e a Bahia, que é quarto colégio eleitoral”, disse.

Conversa com Rui

Apesar de “intimada” pelo presidente do partido, a senadora afirmou que não existe uma decisão inabalável e que ainda vai conversar com o governador Rui Costa (PT) sobre o desejo do partido de não abrir mão da sua reeleição ao Senado.

“O presidente do partido trouxe uma ideia para ser discutida. Não existe uma decisão inabalável. Ainda não conversei com o governador, já que fui informada agora sobre essa posição do partido, mas isso de forma nenhuma modifica a relação do PSB com o governador”, afirmou a socialista.

Lídice disse, ainda, que a escolha do seu nome não muda o apoio ao governo estadual. “A nossa participação no governo é necessária, nós participamos do governo, ajudando e apoiando o governador, nós vamos continuar com o governo”.

Presidência

Sobre as pretensões do partido para a disputa de presidente, Siqueira declarou que a legenda ainda não tem “um candidato natural” à Presidência da República e deixou a definição sobre o assunto para o primeiro trimestre de 2018.

Para o socialista, a decisão de apoiar ou lançar um nome próprio para o Planalto deve acorrer até o dia da convenção nacional do partido, marcada para 4 março do próximo ano.

“Não temos razão para tomar essa decisão agora. Hoje não temos um candidato, estamos numa série de conversas com outras forças politicas, para compor uma coligação para o plano nacional, no entanto nossa decisão é continuar e aprofundar essas conversas até o primeiro trimestre do ano que vem”, apontou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *