Santo Amaro: Fórum decide futuro de Santa Casa e governo assina convênio com instituição

Conforme anunciamos aconteceu nessa quinta-feira (9), em Santo Amaro, uma audiência pública com a diretoria da Irmandade da Santa Casa de Misericórdia para debater sobre a real situação da entidade. Durante a plenária que ocorreu na Câmara de Vereadores da cidade foram abordados temas importantes como a história secular da entidade, o passivo financeiro e soluções que vem sendo adotadas como adesão ao REFIS entre outras ações. Com a casa cheia participaram do encontro representantes da sociedade civil organizada como sindicatos, maçonaria, escolas, profissionais, polícias civil e militar, entre outros. Além disso, estiveram presentes vereadores, o prefeito Flaviano Bomfim e secretários de sua equipe como o de saúde João Militão, de governo Almir Eloy, da educação Raimundo Saborosa, de Cultura e Turismo Nadja Pinto, Ação Social Marília Rocha, Superintendente da ordem Pública Capitão Washington e os ex-prefeitos João Melo e Genebaldo Correia. João Melo parabenizou a iniciativa de todos em prol de uma instituição tão importante para a cidade. Em seu discurso Flaviano agradeceu ao provedor Cid Cardoso (Dr. Cidinho) pela realização do evento e reiterou o seu apoio ao projeto de restruturação financeira da entidade. Flaviano parabenizou o empenho de toda sua equipe de saúde em nome do secretário Militão e a coordenadora do Hospital Natividade, Ana Melo, pelo excelente trabalho na unidade que vem oferecendo um serviço de qualidade para a população. “Perdi meu pai por um câncer tendo toda estrutura. Me coloco no lugar das pessoas e por isso saúde é prioridade no meu governo. Hoje não devemos nada na saúde do município e só não estamos melhor por irresponsabilidade do antigo gestor que não soube planejar nem administrar a estrutura da saúde de Santo Amaro. Em Salvador o povo passa mais de 8 horas só para fazer uma triagem em hospital particular e aqui o cidadão de Santo Amaro é atendido em 10 minutos no hospital Natividade e ainda sai criticando. Hoje temos um raio-x de ponta com mais de 3.000 exames, temos um eletrocardiograma, hospital de Acupe, o retorno da maternidade onde as mães já podem ter seus filhos aqui e hoje estamos assinando o convênio definitivo de dois anos para que a Santa Casa de Oliveira dos Campinhos possa regularizar suas atividades. Mesmo com o rombo deixado estamos trabalhando forte e não vamos desistir. Já conseguimos esse ano 17 milhões do governo federal e vou à Brasília para reunião com o ministro da saúde solicitar apoio para nossa cidade. Vamos ainda surpreender a muitos porque vamos responder as críticas com trabalho,” destacou Flaviano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *