Pauta Livre – Por Rogaciano Medeiros

COMPLICADO
O principal argumento dos que, dentro dos setores progressistas, defendem a salvação de Aécio, é que tal postura reforça o respeito à legalidade e cria uma certa dificuldade para a condenação de Lula, sem provas, pelo TRF. Dizem que prender Aécio é cilada para depois prender Lula. Tem tudo a ver. Mas, será que as elites ultraconservadoras, neoliberais xiitas, golpistas e despóticas, estão mesmo a fim do restabelecimento do Estado democrático de direito?

ILUSÃO
Entre os que consideram um tremendo equívoco setores progressistas apoiarem a salvação de Aécio, prevalece o entendimento de que o grande capital financeiro internacional, soberano no Brasil, não respeita a democracia, pois se respeitasse não teria dado o golpe. Quer mesmo é aproveitar o caos institucional para impor a agenda neoliberal, como tem feito. Portanto, não merece a mínima confiança. Salvar o tucano não garante um julgamento justo para Lula.

AGRAVAMENTO
A decisão do Senado de se antecipar ao STF e aprovar, hoje ou no máximo amanhã, em plenário, a manutenção do mandato de Aécio Neves (PSDB-MG), cassado pela primeira turma do Supremo Tribunal Federal, pode estabelecer uma crise institucional gravíssima. Desde a semana passada que os presidentes do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Corte máxima, ministra Carmen Lúcia, conversam, mas nada de entendimento.

DESPOLITIZAÇÃO
No Senado, a grande maioria dos senadores, inclusive muitos das forças progressistas, defende a manutenção do mandato de Aécio, flagrado em crimes de obstrução da Justiça, recebimento de propina e plano para assassinato. Na Câmara Federal, deputados vendem, a preço de ouro, a salvação do presidente Temer, apontado pela Procuradoria Geral da República como chefe de uma quadrilha que usava o Estado para tomar dinheiro de empresas. Um cenário ideal para os que demonizam a política.

DISPARADO
Muito mais do que a reafirmação da liderança isolada na corrida presidencial, a pesquisa do Ibope, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria, mostra Lula como o melhor presidente da História do Brasil. Aprovação de 57% no primeiro mandato e 80% no segundo. Depois vêm, por ordem, Itamar (46%), FHC (40% e 22%), Dilma (40% e 10%), Collor (12%), Sarney (9%) e Temer (3%). Lula dispara na preferência popular. As elites ficam se mordendo.

 

Rogaciano é jornalista e editor da coluna Pauta Livre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *