Pauta Livre – Por Rogaciano Medeiros

ANIVERSÁRIO

Nesta quinta-feira completa um ano do golpe jurídico-parlamentar-midiático. A justificativa política, pois se tratou de um impeachment de caráter meramente político, foi de criar a “ponte para o futuro”. Mas, nesses últimos 12 meses o Brasil amargou um tremendo retrocesso. Pelo menos para o povo. Muito mais do que se dobrar ao grande capital, o governo Temer apaga todo e qualquer preceito social da Constituição brasileira.

SÉCULO

Bom, até agora a tal “ponte para o futuro”, que Temer tanto propalou para justificar o golpe, só tem levado o povo para único destino: uma vida cada vez mais infernal. Em apenas um ano o Brasil regrediu um século. Em marcha ré.

EXPECTATIVA

Desde o início da semana, a delação do operador do PMDB, Lúcio Funaro, que atinge em cheio Temer e outros figurões do governo, já está nas mãos do relator da Lava Jato, para homologação. Agora tudo depende de Edson Fachin. O ministro do STF é acusado de estar demorando muito para tomar decisões, o que acabaria favorecendo o esquemão golpista que se apoderou da República.

OCASO

É visível, a olho nu, o esvaziamento da Lava Jato. A operação já cumpriu o sujo papel de favorecer o clima para o golpe, além de condenar e/ou demonizar inimigos políticos. Agora passou a pegar os próprios golpistas. Não estava no roteiro. Por isso está sendo esvaziada. Só não enxergam os incautos e os deslumbrados, como os procuradores Deltan Dallagnol e Carlos Fernando Lima, mais o juiz Sérgio Moro. No Brasil, a lei nunca foi e não é para todos. Infelizmente.

DISTRITÃO

Se as elites acham que o distritão vai acabar com os pequenos partidos, principalmente os ideológicos, e garantir a reeleição constante dos candidatos das oligarquias, podem estar completamente equivocadas. É o que diz o cientista político e professor Marcos Melo, em artigo na Folha de São Paulo. Segundo ele, os estudos não confirmam esse cenário. Mas, em se tratando de Brasil, tudo é possível.

 

Rogaciano é Jornalista e editor da coluna Pauta Livre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *