Pauta Livre – Rogaciano Medeiros

PELA DIREITA
No vácuo da implacável campanha de despolitização, veiculada descaradamente pela mídia comercial para favorecer o golpismo, a extrema direita se aproveita. Pois é, essa mesma imprensa neoliberal espetaculariza pesquisa de um tal Instituto DataPoder360, que aponta Jair Bolsonaro (PSC-RJ) em segundo lugar na corrida presidencial, com apenas cinco pontos percentuais abaixo de Lula e bem à frente dos demais presidenciáveis.

UMA IRRACIONALIDADE
Ao apostar em projetos pautados no autoritarismo, no absolutismo, como são Bolsonaro no Brasil e Trump nos Estados Unidos, o neoliberalismo se revela uma doutrina de extrema direita levada às últimas consequências. É quando a sanha do lucro se confunde com a insanidade. Afinal, trata-se de uma experiência devastadora para o povo, terrível para os trabalhadores, mas também pouco sedutora para o liberalismo, que não combina com Estado forte e necessita das contradições para sobreviver. É a irracionalidade capitalista.

PARA CONSIDERAR
A observação verificada em todas as pesquisas para a corrida presidencial, de que cerca de 50% dos eleitores não votam de forma alguma em um candidato do PT, é um dado para ser levado em conta e objeto de muita reflexão pelo partido. Principalmente diante de um ambiente eleitoral fortemente marcado por posições radicalmente opostas entre direita e esquerda. Sem dúvida, Lula é a principal aposta das forças progressistas, mas é recomendável se preparar para surpresas inesperadas. Em um cenário de exceção, tudo é possível.

OCASO TUCANO
A cada pesquisa sobre a corrida presidencial, a reafirmação do ocaso eleitoral do PSDB, que outrora sonhou ser a grande legenda representativa da social democracia no Brasil, partido das classes médias, mas que no desespero de retomar o poder e na insensatez política das lideranças, acabou enveredando pelo caminho do obscurantismo e da tirania, próprio da extrema direita. Os presidenciáveis tucanos – Serra, Alckmin e Dória – são os mais impopulares e têm metade da preferência de Bolsonaro (PSC). A parceria com Temer tem agravado ainda mais a desesperadora situação.

MAIS POLARIZAÇÃO
“Eu queria que o senhor fosse apenas um bom juiz. Discreto e eficiente. Que, ao condenar uma figura tão simbólica (para o bem ou para o mal), não nos deixasse dúvidas de que a justiça estivesse sendo feita. Para acabar de vez com toda essa loucura que virou o Brasil. Mas do jeito que foi feito, só fomentou mais essa polarização caótica, horrível”. Trecho de carta aberta a Sérgio Moro, assinada pelo cantor e compositor Tico Santa Cruz.

 

Rogaciano Medeiros é Jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *