Santo Amaro: Desembargador pede segredo de justiça em ação de empresário contra juíza

O desembargador Eserval Rocha determinou que seja adotado sigilo na ação movida por empresários investigados na operação Adsumus contra uma juíza e promotores de Justiça da cidade de Santo Amaro, responsáveis pelas investigações de um esquema de fraudes em licitações envolvendo o ex-prefeito Ricardo Machado, o ex-vice-prefeito Leonardo Pacheco e outros agentes políticos.

O empresário Roberto José Oliveira Santana, a empresária Rafaela dos Santos Santana Hedjazi e as empresas Grautech Construtora e Oliveira Santana Construções acusam os responsáveis pela operação de comportamentos abusivos no “exercício da magistratura e do labor ministerial”.

Rocha, escolhido relator do processo no Tribunal de Justiça da Bahia, pediu que a representação criminal fosse retificada para ‘investigação contra magistrado’ e, portanto, que fosse também resguardado o segredo de justiça. O despacho do relator foi assinado nesta terça-feira (2).

A ação dos empresários contra a juíza de direito de Santo Amaro e os promotores da cidade ocorreu depois que foram expedidos os mandados de prisão, no final de março, contra o empresário Roberto Santana e o ex-vice-prefeito Leonardo Pacheco.

A Adsumus estima que o esquema de fraudes em licitações, que começou na prefeitura de Santo Amaro, já teria desviado pelo menos R$ 24 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *