Vereador recebeu mais do que colegas ‘pelo potencial’, diz delator

Um dos vereadores de Salvador alvos de pedidos de investigação na Operação Lava Jato, Henrique Carballal (PV) teria recebido um valor maior da Odebrecht, em comparação com alguns de seus colegas, pelo seu “potencial de crescimento na carreira política”, de acordo com André Vital, um dos delatores da empreiteira.
Em depoimento, o ex-funcionário da companhia afirmou que o atual líder do prefeito ACM Neto (DEM) no Legislativo municipal recebeu pessoalmente das suas mãos R$ 100 mil em espécie, em 2012.
Ao ser questionado sobre o motivo de o então petista ter ficado com o dobro do valor destinado a outros vereadores – como os tucanos Paulo Câmara e Tiago Correia – Vital ressaltou a condição de Carballal.
“Ele era líder do PT na Câmara. […] Na época, era uma pessoa jovem, tinha potencial de crescimento na carreira política e nós diferenciamos um pouco”, declarou. Amigo do empresário José Augusto, do setor de transportes, Carballal era identificado no sistema Drousys com o codinome “Buzu”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *