Geddel recebeu caixa 2 em 2006 e 2010 como contrapartida, dizem delatores

Segundo a petição encaminhada pelo ministro relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, à Justiça Federal da Bahia, os delatores Cláudio Melo Filho, Marcelo Bahia Odebrecht e João Antônio Pacífico Ferreira explicaram que os pagamentos ao peemedebista eram uma espécie de contrapartida por apoio na aprovação de uma medida provisória.

O Ministério Público Federal (MPF) aponta ainda que as vantagens pagas nas campanhas eleitorais tinham relação com “contratos referentes ao Transporte Moderno de Salvador II (TMS II)”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *