Neto quer que atrações sem cordas desfilem no circuito Osmar em 2018

O prefeito ACM Neto (DEM) disse nesta segunda-feira, 27, que a o circuito Osmar (Campo Grande) está esvaziado e que prefeitura vai estudar, para o Carnaval de 2018, uma “fórmula” para determinar que parte das atrações que sejam pagas pelo poder público, seja da Prefeitura ou estado, e que desfilam sem cordas, que passem a desfilar no circuito do centro, a partir do Campo Grande.

Na avaliação do prefeito, ficou claro que o circuito Osmar perdeu público e que o Carnaval no circuito Dodô (Barra-Ondina) atraiu muito mais público esse ano do que esperado. Ele falou sobre o assunto em entrevista coletiva no camarote oficial da Prefeitura, no Campo Grande, há pouco.

“A partir de hoje começamos a discutir o que deve ser pensado para o ano que vem. Uma coisa me preocupada, já vinha me preocupando, acho que está muito claro, é que há um esvaziamento muito grande aqui no circuito do centro, sobretudo domingo, segunda e terça. Nós querermos estudar uma fórmula para determinar, com o conselho do Carnaval para que parte das atrações que sejam pagas pelo poder público, que desfilam sem cordas, que venham desfilar aqui no circuito do campo grande”, afirmou ACM Neto.

Ele disse que não pode mandar no desejo do folião nem obrigar artistas e blocos a desfilarem na avenida, mas opina que devem ser estabelecidos critérios para a escolha dos circuitos a serem desfilados. Disse, também, que essa tendência não tem como ser revertida só pela vontade do prefeito e do poder público.

“Pensando na organização geral da festa, eu não tenho como obrigar o bloco a sair aqui, não tenho como obrigar o artista a sair aqui, mas a gente pode pensar em tudo isso. Tudo está começando a ser rediscutido. A gente pode começar começar a estabelecer um critério que, aquele que vai ser patrocinado pelo poder público, que possa sair na pipoca também aqui no circuito do Campo Grande, por exemplo”.

A importância do fomento ao fortalecimento do circuito do centro teria a dupla função de preservar a tradição e desafogar o circuito da Barra-Ondina. “A gente precisa, no próximo ano, estabelecer algum tipo de critério que valha para o poder público, seja prefeitura ou governo, no sentido de ampliar, ou melhor, equilibrar essas atrações que desfilam sem cordas, trazendo uma quantidade maior para cá (Campo Grande), a fim de garantir que o circuito ainda possa ter a sua vitalidade. Isso é importante para Salvador não só pela tradição, mas porque equilibra a cidade. Não dá pra gente ter o Carnaval da Barra”.

A equipe da prefeitura começa a se mobilizar para sugerir novos critérios logo após o Carnaval deste ano. “A gente tá pensando isso não é porque a gente quer mandar no desejo do folião, mas é porque ontem, por exemplo, a Barra estava muito cheia. Eu fui a Barra por volta das 20h30 da noite. Eu mesmo tive dificuldade de chegar em razão da quantidade de pessoas na rua. Isso já tinha registrado no sábado, mas no domingo não. A partir dos números de ontem e em termos de dinâmica para cidade, já uma pauta que começa a que começa ser discutida pela nossa equipe”.

 

 

Tarde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *